Em Corumbá, rede socioassistencial conclui fluxograma instersetorial

Integrantes da rede socioassistencial de Corumbá concluíram agora em abril, o fluxograma e o protocolo intersetorial da Rede de Atendimento  às Vítimas de Violência, que integram uma política que trata da capacitação para o acolhimento, o cuidado e a orientação às crianças, adolescentes, homens, mulheres e idosos que vivem situações de violência. Os trabalhos de readequação foram finalizados em um encontro no último dia 25 de abril.

 

As informações são da Secretaria de Assistência Social e Cidadania da Prefeitura que, desde fevereiro, está coordenando os encontros voltados para debater as ações e o fluxograma de atendimento da rede e do protocolo intersetorial.

 

O trabalho é desenvolvido por representantes do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), Centro de Saúde João de Brito, Núcleo de Atenção a Saúde da Família (NASF), Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD), Programa de Saúde do Idoso, Núcleo de Prevenção a Violência e Prevenção da Saúde NPVPS/VIGEP/DANT, Defensoria Pública, Delegacia de Atendimento a Infância, Juventude e Idoso (DAIJI) e Conselho Tutelar.

 

“As reuniões têm como objetivo a interação entre os serviços, identificação de interesses comuns, repensar formas de atuação e estabelecimento de fluxo de atendimento”, explica a secretária Andréa Cabral Ulle.

 

Conforme ela, é necessários que todos os segmentos da sociedade estejam unidos para fortalecer a rede de proteção infanto-juvenil, para permitir a esta clientela, um desenvolvimento biopsicossocial pleno e saudável.

 

A secretária observa que os atores sociais envolvidos na questão estão, permanentemente, “diante do desafio de garantir maior eficiência, eficácia e efetividade nas suas ações de mobilização e sensibilização da sociedade para o problema, que para muitos estudiosos, atualmente, constitui um dos maiores fenômenos sociais da sociedade moderna. A sua erradicação é uma tarefa árdua, porém, com a união de esforços, podemos enfrentar este fenômeno com competência, buscando a resolutividade do problema”.