Sob flores, aplausos, canções e rezas, corpo de padre Ernesto é sepultado

A cidade de Corumbá parou na tarde desta quinta-feira, 14. Um séquito de centenas de pessoas formaram o cortejo fúnebre que acompanhou o caixão do padre Ernesto Sassida até o cemitério Santa Cruz, no Bairro Dom Bosco.

 

Com o caminhão do 3º Grupamento de Bombeiros de Corumbá à frente, a comitiva saiu do Colégio Dom Bosco às 16h e seguiu pelas ruas 13 de Junho; Gabriel Vandoni de Barros; Dom Aquino; Frei Mariano; Delamare; 15 de Novembro; retornando à Dom Aquino até o local do sepultamento.

 

Uma operação envolvendo 22 agentes e 7 fiscais da Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat) e 7 policiais da Guarda Municipal cuidou da engenharia de tráfego e da segurança do público ao longo do percurso.

 

Por onde passava, o cortejo emocionava. Um carro de som tocava o Hino da Cidade Dom Bosco, pessoas aplaudiam, acenavam e prestavam a última homenagem ao padre que doou a vida em benefício do próximo e à melhoria de vida dos mais pobres e carentes de Corumbá.

 

No cemitério Santa Cruz, cerca de mil pessoas aguardavam ansiosamente o corpo de padre Ernesto. Tão logo desceu do caminhão do Corpo de Bombeiros, o caixão foi seguido por amigos, professores, alunos e demais admiradores que choravam, rezavam e entoavam hinos a Jesus, a Maria e a Dom Bosco. Por entre as alamedas estreitas do cemitério, pessoas subiam nos túmulos e até em árvores para ver o caixão do ilustre benfeitor pela última vez.

 

Ao lado do jazigo salesiano, na segunda alameda da quadra Mário Sabatel, o padre e diretor do Colégio Dom Bosco, Amércio Rezende, se dirigiu ao povo de forma sucinta: “Este é um momento de grande perda, mas também de esperança e de alegria, pois Deus, com certeza, já acolheu o nosso querido padre Ernesto”.

 

Em seguida, todos soltaram balões brancos, rezaram o Padre Nosso e a Ave Maria e cantaram repetidamente o Hino da Cidade Dom Bosco: “a quem nos deu muita atenção, prometemos muita oração, ficará no coração”. 

 

O corpo de padre Ernesto Sassida desceu à sepultura por volta das 17h15 sob aplausos, flores e muita emoção.