Carnaval cultural movimentou R$ 9 milhões durante 6 dias em Corumbá

O carnaval cultural de Corumbá movimentou um montante de R$ 9 milhões na cidade, entre comércio formal e informal, agremiações carnavalescas e contratação de pessoal. A informação é da Pesquisa do Movimento Econômico do Carnaval de Corumbá, encomendada pela prefeitura à Fecomércio/MS e realizada em parceria com a Secretaria de Industria e Comércio e a Fundação de Turismo do Pantanal de Corumbá.

 

O presidente estadual da Fecomércio, Edson Araújo, veio pessoalmente à sede da Associação Comercial e Industrial de Corumbá (ACIC) e entreogou, nesta quinta-feira, 7, o estudo ao prefeito Paulo Duarte, que comemorou os resultados. “Somente a prefeitura investiu R$ 2 milhões neste carnaval e o retorno foi de quase 5 vezes o valor investido.  E, o mais importante, não foi um retorno para a prefeitura, mas para o cidadão, em forma de serviços, emprego e renda”, disse o prefeito.

 

Cerca de 800 empregos foram gerados durante os 6 dias de carnaval nas escolas de samba, blocos oficiais e independentes e cordões.

 

O estudo da Fecomércio e da Fundação de Turismo do Pantanal também apurou a quantidade de pessoas que circulam pela cidade durante os 6 dias de carnaval, crescimento das vendas e valores gastos diariamente por turistas e residentes de Corumbá. A margem de acerto é de 94,7% e a de erro, de 5,3%. “Cerca de 25 a 35 mil pessoas transitaram por Corumbá. Os residentes gastaram em torno de R$ 4 milhões e os não residentes, R$ 2,2 milhões”, disse o diretor superintendente do Instituto de Pesquisa da Fecomércio (IPF), o economista Thales de Souza. “Os turistas gastaram uma média de R$ 237 por dia, fora a hospedagem. Os residentes, R$ 92 por dia”, acrescentou.

 

O levantamento revelou ainda que houve aumento de 17,3% nas vendas e que mais de 1,2 mil famílias tiveram uma renda extra durante o período carnavalesco. Os ambulantes movimentaram cerca de R$ 400 mil.

 

Mas, para o prefeito Paulo Duarte, há ainda um saldo positivo impossível de ser capturado pelos estudos científicos, mas que jamais pode ser desprezado. “A divulgação e a visibilidade agregadas a Corumbá não são mensuradas no estudo, mas também são importantíssimas para o nosso turismo local também”, disse.