CAPSad celebra cinco anos salvando pessoas do mundo das drogas

O prefeito Paulo Duarte participou na manhã desta quinta-feira, 07, das comemorações que marcaram os cinco anos do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS ad) que, desde 2008, realizou um total de 1.030 atendimentos. “Eu acompanhei o nascimento desse programa e admiro muito o trabalho que vocês desenvolvem aqui, porque eu sei que gostam do que fazem”, declarou o chefe do executivo para toda equipe que realiza o atendimento aos dependentes de substâncias psicoativas.

 

Paulo Duarte, que se considera um sobrevivente do mundo das drogas, deixou uma mensagem de força e otimismo para todos os dependentes. “Embora nunca tenha utilizado drogas na minha vida, convivi com pessoas que eram usuárias e sobrevivi a tudo isso”, explicou o prefeito, que aproveitou a ocasião para reforçar também a disposição da administração municipal em investir no tratamento e acompanhamento desses pacientes.

 

“Vamos trabalhar na prevenção e na inserção de cada um de vocês em atividades que estimulem a autoestima e retorno ao convívio social”, declarou. “Tenham força, porque eu sei que vocês já escolheram o caminho certo e vão continuar nele até o fim”, completou.

 

Segundo a psicóloga Silvia Segóvia Freire, coordenadora do CAPSad, são atendidos todos os dias 40 pessoas em situação de dependência química. “Hoje, nós temos 35 pacientes em tratamento intensivo”, disse, destacando que a maioria dos pacientes iniciou no mundo das drogas pelo álcool. “A maioria começou com a prática dentro da própria família”, acrescentou.

 

Presente ao evento, a secretária de Saúde Dinaci Ranzi, destacou as propostas que o Município pretende no CAPSad. “Nós faremos uma remodelação em todas as unidades de atendimento psicossocial do município”, comentou. “Nosso CAPSad é referência hoje no Estado, mas a gente precisa melhorar, dando principalmente mais condições de estrutura a esta unidade”, completou. “Queremos fortalecer toda a relação com os trabalhadores e avançarmos nesse serviço”, continuou.

 

Com direito a parabéns e bolo de aniversário, a festa foi marcada por relatos emocionantes de pessoas que estão conseguindo superar o vício e se reestruturar socialmente. “Aqui é minha segunda casa, pois hoje me considero uma pessoa mais calma e equilibrada”, disse um paciente