Paulo Duarte cobra ações constantes para livrar cidade da dengue

O prefeito Paulo Duarte está estudando uma série de medidas para evitar que Corumbá, no futuro, sofra novas epidemias de dengue. Além de reafirmar que é preciso fazer o dever de casa, com limpeza dos prédios públicos, por exemplo, o chefe do executivo corumbaense já deixou claro que irá adotar posições enérgicas inclusive contra proprietários de imóveis fechados, muitos deles abandonados, inclusive na área central, que são focos em potencial de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

 

Paulo informou que as medidas necessárias para evitar epidemias de dengue no futuro já estão sendo discutidas e, na entrevista coletiva de amanhã, com a imprensa, vai mostrar a realidade atual e o que está sendo feito, as ações de prevenção e combate.

 

O prefeito já cobrou sua equipe para fazer o dever de casa, mantendo os prédios públicos limpos, livres dos focos. Mas, deixou bem claro que não basta apenas o Poder Público fazer sua parte. É preciso a população também fazer a dela, eliminando os focos que estão dentro das próprias residências.

 

Paulo Duarte recebeu números preliminares do LIRAa (Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti) realizado na semana passada, e demonstrou preocupação com a alta incidência de focos dentro das residências, tanto nos reservatórios elevados, como também em vasos e pratos de planta, frascos com plantas, bebedouros de animais, calha, laje, ralos, sanitários em desuso, entre outros.

 

Mas, está preocupado também com os imóveis fechados e até mesmo abandonados na área urbana da cidade, inclusive na área central. Pelos levantamentos, muitos casos de notificações da dengue acontecem próximos a estes imóveis e para resolver o problema, o prefeito estuda medidas mais enérgicas, inclusive com aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), que poderá ser mais elevado nestes casos.

 

“Existem grandes grupos instalados em Corumbá, proprietários de imóveis abandonados na cidade, inclusive no centro, que estão contribuindo para aumento da dengue. Precisamos combater esta especulação imobiliária. São grupos que mantêm seus imóveis fechados, que dificultam as ações de prevenção e combate, causando sérios problemas à saúde pública”, ressaltou.

 

O prefeito lembrou que os fiscais da Vigilância Sanitária estão notificando os proprietários para que façam a limpeza dos imóveis fechados, muitos deles abandonados, bem como dos terrenos baldios. No entanto, há casos de pessoas que se negam inclusive a receber notificação, prejudicando andamento das ações de combate á doença. Por isso mesmo o prefeito não descarta um valor diferenciado do IPTU destes imóveis.

 

Linha férrea

 

Outra situação preocupante é com relação às margens dos trilhos. A limpeza é de responsabilidade da ALL (América Latina Logística), responsável pelo transporte ferroviário na região. Como se trata de uma concessão federal, o prefeito já informou que irá encaminhar ofício ao Ministério Público Federal, para que seja feita uma cobrança à direção da empresa, para que faça a limpeza periódica, eliminando os focos da dengue.

 

Outra decisão do chefe do executivo se refere ao Comitê Municipal de Combate à Dengue. Por decreto, ele está determinando que todas as pastas envolvidas da Administração Pública, participem de forma ativa, durante o ano todo, das ações contra a doença, não descartando inclusive penalizações. Além da Saúde, fazem parte do Comitê as secretárias de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, de Educação, Assistência Social, além das Fundações de Meio Ambiente e de Turismo, e a Procuradoria Geral do Município. E já cobrou a presença de todos na reunião de sexta-feira (11), do Comitê.