Marcha Pela Paz e Não Violência atrai duas mil pessoas em Corumbá

Somar esforços e impactar toda sociedade com uma cultura de paz. São esses os principais objetivos da “Marcha Pantaneira Pela Paz e Não Violência”, realizada na manhã desta quarta-feira, 30, em Corumbá. Idealizada pela Prefeitura Municipal, por meio das Secretarias de Assistência Social e Cidadania e a de Saúde, a mobilização atraiu duas mil pessoas.

 

Representando o prefeito Paulo Duarte, a secretária Assistência Social e Cidadania, Andréa Cabral Ulle abriu o evento explicando sobre a importância da caminhada. “Queremos que esta mobilização não seja apenas hoje, pois desejamos disseminar uma cultura de paz em nossa cidade”, disse. “Precisamos aprender a conviver em harmonia e preservar a vida”, destacou.

 

Antes de percorrer as ruas centrais da cidade, foi realizado um ato ecumênico com a presença do pastor Márcio Dermeval e da ialorixá, Elenir Batista. Como prova de uma convivência fraterna e pacífica, ambos discursaram sobre a importância da paz na sociedade e encerraram com uma oração do “Pai Nosso”.

 

Explicando sobre diversas formas de violência, inclusive todas ocorridas no trânsito, a partir do consumo de álcool e drogas, técnicos da Saúde, da Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat), Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros realizaram uma simulação de acidente durante a caminhada.

 

“Nós apresentamos um simulado que mostra como é realizado um atendimento e como a população deve se comportar diante de uma situação de emergência”, contou o médico Riad Hamie. “Temos assistido diversas notícias sobre violência, mas não podemos continuar com tal estatística”, destacou.

 

A caminhada mobilizou muitos jovens e despertou uma maior conscientização em prol da valorização da vida. “Nós precisamos pensar e analisar nossas atitudes e nossos atos com relação ao próximo, pois Jesus nos ensinou a amar”, destacou Manoel Rodrigues. “Precisamos que toda sociedade faça sua parte para alcançarmos resultados” continuou.

 

A ação foi integrada e contou também com a participação do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), Gerência de Promoção da Igualdade Racial, Secretaria Municipal de Educação (SEMED), Exército, Marinha e Infraero.