Duarte apresenta plano de ação em caso de epidemia de dengue

Corumbá já tem um plano de ação e atuação para o caso de uma epidemia de dengue atingir a cidade. O trabalho vai envolver, além da rede pública de saúde e a Administração Municipal, o Exército e a Marinha. “Não queremos ser alarmistas, mas também não queremos fugir da realidade, que hoje é preocupante”, afirmou o prefeito Paulo Duarte durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (9).

Acompanhado da secretária de Saúde, Dinaci Ranzi, e da médica veterinária Viviane Ametlla, Duarte apresentou os números do primeiro LIRAa (Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti) de 2013. “Vivemos uma situação bastante preocupante, de pré-epidemia. O levantamento mostrou que estamos nove vezes acima do índice aceitável, que é de 1%”, explicou.

Os bairros Centro América e Arthur Marinho apresentaram os números mais altos do levantamento e, por isso, vão receber uma atenção maior da Prefeitura. Mas o prefeito garantiu ainda que o trabalho será intensificado em todas as regiões da cidade, inclusive no Centro, onde o índice está 5% acima do tolerável. “Lá o problema são as edificações fechadas ou abandonadas. Vamos buscar o diálogo com esses proprietários, notificá-los e, se necessário, tomar todas as medidas judiciais cabíveis”.

O trabalho da Secretária de Saúde mostrou ainda que os depósitos no nível do solo (caixas, tambores e outros utensílios usados para armazenar água) continuam sendo os maiores criadouros do mosquito Aedes aegypti. “Eles representam 52,7% do total do município”, detalhou Paulo Duarte. Os depósitos móveis (latas, garrafas, vasos de plantas entre outros) respondem por 26% do total e os depósitos fixos (calha, lage, ralos) outros 3%.

O acúmulo de lixo e outros resíduos sólidos é outra preocupação do prefeito. Esse tipo de depósito apresentou 13% do número dos focos no LIRAa. “Por isso pedimos a participação efetiva da população nessa questão. Não deixe possíveis criadouros da dengue em casa. Observando qualquer situação dessa, elimine imediatamente e denuncie o terreno baldio que estiver sujo”, reforçou Paulo Duarte.

Ainda nessa semana, um decreto vai determinar que todas as secretarias e órgãos da Prefeitura também entrem na luta contra o Aedes aegypti. “Vamos trabalhar duro para que a cidade não passe pelo mesmo problema no ano que vem. Mas isso só vai acontecer se todos atuarmos juntos. Por isso peço a compreensão e o apoio da população. Todos temos que fazer nossa parte”, finalizou.