Corumbá utiliza kit rápido para diagnosticar a leishmaniose em cães

A Prefeitura de Corumbá está utilizando o kit rápido para diagnóstico da leishmaniose em cães, desenvolvido pela Biomanguinhos, uma unidade da Fiocruz responsável pela produção de vacinas e kits para diagnóstico. O produto, conhecido como DPP leishmaniose visceral canina, possibilita saber na hora, se o animal é portador da doença, ao passo que o teste normal leva quatro dias para ficar pronto.

 

O teste está sendo realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria de Saúde, e foi apontado pela médica veterinária responsável pelos trabalhos, Stephanie Lins, como fundamental para o controle da doença, já que o ciclo de vida do parasita causador da leishmaniose humana envolve necessariamente o cão como seu reservatório.

 

“Os proprietários de cães, a partir de agora, têm condições de saber de forma mais rápida, se o seu animal está com leishmaniose. O CCZ já possui o kit para o teste rápido para diagnosticar a doença. Antes dessa ação, os agentes de endemias recolhiam o sangue do animal e encaminhavam para análise no laboratório da cidade. Dependendo da demanda, os resultados podiam demorar meses para ser liberado”, destacou a veterinária.

 

“Agora – continuou – com este teste, o dono do animal fica sabendo em 15 minutos, se o cão tem ou não a doença. Caso o teste aponte resultado positivo, a amostra retirada é encaminhada para o laboratório do CCZ para que seja feita uma contra prova com outra técnica laboratorial, o Elisa”, explicou.

 

Disse que em caso de resultado positivo no teste, o dono poderá deixar o animal no CCZ, ou aguardar o resultado da outra técnica de exame, com o animal suspeito em sua casa. Disse que caso o resultado seja negativo, o proprietário é orientado a colocar no animal, a coleira impregnada com deltametrina a 4%, para evitar a infecção.

 

“O teste está permitindo agilizar os resultados e, com isso, diminuir os riscos de transmissão da leishmaniose para animais e pessoas no município”, disse Stephanie, afirmando que, atualmente, os testes rápidos são feitos apenas no CCZ, localizado na Rua João B. Couto, s/n, no Bairro Guanã II, das 07 às 11 horas, e das 13 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.

 

“É importante ressaltar que a leishmaniose é uma doença grave, transmitida pelo mosquito flebótomo. Por isso, solicitamos a todos os munícipes que evitem qualquer tipo de criadouro do mosquito transmissor, como evitar a criação de ‘animais de produção’, como galinhas e porcos no perímetro urbano; embalar corretamente o lixo;

não deixar seu animal na rua sem coleira ou guia, para evitar possíveis focos de transmissão do mosquito nas redondezas, além de realizar manutenção periódica dos quintais, mantendo-os sempre limpos”, orientou.