Banda Marcial de Fuzileiros Navais leva um grande público à praça

Um programa diferente. Foi o que proporcionou a Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais na noite de ontem (24) em Corumbá, em uma apresentação inédita no Mato Grosso do Sul, como parte de uma turnê pelo Brasil, em comemoração aos 204 anos de existência da instituição. O espetáculo aconteceu na Praça Generoso Ponce e atraiu um grande público que pode observar de perto uma série de evoluções, além de um belo repertório musical, com um toque especial da gaita de fole, de origem escocesa.

 

A banda, que tem como sede a histórica Fortaleza de São José, construída em 1736, na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro, está viajando pelo País. Corumbá foi a primeira cidade sul-mato-grossense visitada pelos músicos que integram instituição considerada como uma das melhores do mundo.

 

O evento foi proporcionado pelo Comando do 6° Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com a Prefeitura de Corumbá. Além do grande público, prestigiaram também a apresentação, os prefeitos Ruiter Cunha de Oliveira, de Corumbá, e José Antônio Assad e Faria, de ladário, bem como o comandante do Distrito Naval, contra-almirante Rodolfo Frederico Dibo.

 

Foram 55 minutos de muita música, evoluções e aplausos do público que teve oportunidade de ouvir um repertório musical com obras como Aquarela do Brasil, Asa Branca, além de Cisne Branco (referência à Marinha do Brasil), Andro (de origem celta bastante popular no noroeste da França com a gaita de fole), Valsa da Despedida, entre outras.

 

A banda é formada por 118 músicos. Desses, 98 vieram a Corumbá para a apresentação. Tem como regente o suboficial fuzileiro naval Cesário José Barbosa Neto. A primeira figura formada foi uma galera, embarcação tradicional da Marinha. Durante 55 minutos, realizaram outras evoluções. Um destaque foi a âncora, símbolo da Marinha, formada ao som de Cisne Branco.

 

A noite foi completa. Contou ainda com a participação da Banda de Musica Municipal Manoel Florêncio que se apresentou na abertura do espetáculo. Durante cerca de 30 minutos, o público pode acompanhar um pouco do que a banda, regida pelo maestro José Carlos Marques Pereira, prepara para o Concerto de Santa Cecília, no final do ano.