Solenidade celebra Retomada de Corumbá e aniversário da 18ª Brigada

Solenidade civico-militar celebrou nesta sexta-feira (15) os 145 anos da Retomada de Corumbá e o aniversário de 66 anos da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira- Brigada Ricardo Franco. A cerimônia, que contou com a presença de autoridades de Corumbá, Ladário e das Forças Armadas da Bolívia, foi realizada no quartel da 18ª Brigada e destacou duas das principais personalidades da história brasileira: o coronel Ricardo Franco de Almeida Serra e o Marechal Antônio Maria Coelho.

 

Nascido em Portugal no ano de 1748, Ricardo Franco foi fundador do novo Forte de Coimbra, atualmente um dos belos atrativos turisticos de Mato Grosso do Sul. Em 1801 comandou  um efetivo de 49 homens contra uma armada espanhola, composta por pelo menos 800 homens e diversas embarcações, que relutavam em reconhecer as demarcações terririais da época. Comandada por Ricardo Franco, o Forte de Coimbra impôs heróica resistência e barrou o avanço do inimigo.

 

Em 1802 a Coroa Portuguesa promoveu o militar ao posto de coronel e agraciou-o com o hábito de São Francisco de Assis, permanecendo no comando do Forte de Coimbra e da Fronteira Sul da provincia. Preocupado com a defesa dos limites com os espanhóis, implantou destacamentos, reconstruiu fortes e executou outras obras militares e civis. Faleceu aos 61 anos de idade. Fundada em 12 de julho de 1946, a 2ª Brigada Mista passou a se chamar, em dezembro de 1980, de Brigada Ricardo Franco.

 

A 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira é diretamente subordinada ao Comando Militar do Oeste (CMO), tendo como atual comandante o general de brigada Carlos dos Santos Sardinha. A Brigada Ricardo Franco é composta pelo 2º Batalhão de Fronteira, em Cáceres (MT); 17º Batalhão de Fronteira; 2ª Companhia Fronteira; em Porto Murtinho, 3ª Companhia de Fronteira e Forte Coimbra e Companhia de Comando da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira.

 

Já o marechal Antônio Maria Coelho nasceu em Cuiabá em 1827. Em 13 de junho de 1867, o então tenente-coronel expulsou os paraguaios comandados por Solano Lopes, das terras da Província de Mato Grosso por ocasião da Guerra do Paraguai. Em janeiro de 1865, Corumbá e o Forte de Coimbra foram militarmente tomados pelas tropas paraguaias. Dois anos mais tarde, o presidente da província de Mato Grosso, Couto Magalhães, determinou a Retomada de Corumbá.

 

A ofensiva militar ficou sob o comando de Antônio Maria Coelho. No dia 15 de maio de 1867 teve início a ação para a Retomada de Corumbá com a partida das tropas do Porto de Cuiabá. No dia 13 de junho, pela madrugada, a tropa toma rumo norte,nm caminhando pelas margens do Rio Paraguai. Depois de 25 quilômetros de marcha, os soldados param próximo à vila de Corumbá, para observação e plano tático de seus comandantes.

 

Os ataques foram iniciados às 14 horas e duraram até às 18 horas. A retomada de Corumbá marcou o início do processo de expulsão definitiva das tropas paraguaias do solo de Mato Grosso. No Jardim da Independência, no Centro de Corumbá, uma estátua em tamanho real do Marechal Antônio Maria Coelho reverencia um dos heróis da Guerra do Paraguai.