Presidente presenciou conversa e diz que era negociação salarial

Durante a reunião desta quarta-feira (06) no gabinete do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), o presidente da Associação Médica de Corumbá, Cristiano Xavier, comentou sobre o afastamento do secretário municipal de Saúde, Lauther da Silva Serra. De acordo com ele, o áudio apontado pelas investigações como indícios de desvio de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) são, na verdade, uma negociação salarial com os médicos do Santa Casa de Corumbá.

 

“Na gravação, os 15, 15, 20 falados pelo secretário são referentes a um aumento para todos médicos além do que é repassado pelo SUS. Em abril, os cirurgiões e anestesistas fizeram uma mobilização para que a Prefeitura completasse a tabela do SUS. Hoje recebemos, por exemplo, R$ 80 por uma operação. Foi proposto que o Município arcasse com mais 60%, que é o valor que os convênios hoje pagam de acordo com a tabela médica CBHPM”, explicou Xavier, se referindo à Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos que remunera os convênios fora SUS.

 

“O secretário fez a proposta de pagar 15% em junho, 15% em agosto e 20% em outubro, que acabou sendo rejeitada. Eu, o Lauther e o Daniel (Martins Costa, presidente da Junta e secretário de Administração e Finanças) estávamos juntos durante essa conversa”, continuou o médico, informando que a categoria acabou aceitando a contraproposta de receberem 30% em julho e 30% em agosto.

 

“Agora vamos fazer uma carta confirmando este diálogo, que os 15, 15, 20 da gravação eram referentes a uma negociação salarial. Até a semana que vem esse documento será encaminhado para todas as autoridades competentes”, garantiu Cristiano Xavier.