Em menos de oito anos, Prefeitura plantou mais de 40 mil mudas

Mais de 40 mil mudas foram plantadas pela Prefeitura de Corumbá desde 2005. As espécies nativas da região pantaneira são cultivadas no Viveiro Municipal, espaço destinado à produção, manejo e aclimatação de mudas. Todas essas plantas, arbustos, árvores e herbáceas, possuem a finalidade de arborizarem as vias públicas de Corumbá ou promover o ajardinamento de áreas verdes urbanas, tornando-as mais agradáveis, mais aconchegantes, e além da estética, promover a melhoria da qualidade de vida da população.

Ipês, jacarandás, sibipirunas, castanheiras, oitis, flamboyant´s, patas-de-vaca, são alguns dos espécimes arbóreos cultivados no local e plantados nas calçadas e até mesmo em ruas de nosso município ao se tratar de área central (mancha dos flamboyant´s). Todos os anos saem cerca de 5.000 mudas de árvores do Viveiro, totalizando, desde 2005, aproximadamente 40.000, produzidas ou adquiridas externamente, porém todas em condições perfeitas para o plantio.

Isso sem contar as milhares de pequenas herbáceas destinadas ao embelezamento do município. Elas ajudam a compor a paisagem do ambiente urbano do município. As praças da Independência e da República, além de arborizadas e ajardinadas, também foram gramadas. Outras praças da cidade também foram revegetadas durante a administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT). Diversas espécies de plantas, com flores de todos os tons, ornamentaram os canteiros centrais, de esquina e rotatórias da cidade.

Nos meses de fevereiro a abril de 2012, a Avenida General Rondon, cartão postal de Corumbá, recebeu 45 jovens “palmeiras imperiais”, medindo 6 metros de altura, recompondo a paisagem e preenchendo as lacunas existentes. Isto foi necessário já que, ao longo dos anos, muitos indivíduos morreram ou foram comprometidos por fitopatologias. As demais palmeiras estão recebendo substâncias anti-parasitas e compostos nutricionais aplicados diretamente no solo para seu enriquecimento.

Outro projeto importante foi o de reconstituição da “mancha” dos flamboyant´s. A mancha é composta por alguns trechos da área central, os quais tem característica peculiar por possuírem essa espécie de árvore plantada entre a calçada e a rua, o que só ocorre em Corumbá, e em virtude disso, além do fator paisagístico e promoção de melhorias ambientais, agrega a importância histórica.

Parque Municipal

A Prefeitura de Corumbá também é responsável pela gestão e manejo do Parque Natural de Piraputangas, criado pelo Decreto n° 078 de 22 de maio de 2003, baseado na Lei 9.985 de 18 de Julho de 2000, que institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC). O Parque é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral e com seus 1.300 hectares, inseridos em uma paisagem ímpar, onde a morraria impera em seu relevo, representa um importantíssimo local para o refúgio de muitas espécies de fauna e flora do Pantanal.

Está localizado na borda Oeste do Pantanal Matogrossense, pertencendo a porção alta da bacia do Rio Paraguai. Sua área está, aproximadamente, a 25 km do centro urbano de Corumbá, sendo seu acesso realizado pela BR 262. Várias ações são desenvolvidas nesta unidade de conservação e têm o objetivo de preservar os recursos ambientais e paisagístico presentes nesta localidade. Por meio da Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário, a Prefeitura realiza no Parque de Piraputangas ações de educação e sensibilização ambiental, como trilhas interpretativas e palestras.

O reflorestamento de algumas áreas degradadas no interior da Unidade de Conservação também constitui outra relevante ação de conservação realizada pela Fundação. “Além dos monitoramentos e fiscalizações rotineiras desempenhados pela equipe técnica da Funterra, que busca minimizar ou extinguir as invasões e uso indevido do Parque, ele também é contemplado, por compensações ambientais de empresas causadoras de impactos negativos ao meio ambiente, sendo esse recurso utilizado para desenvolver os projetos que visam otimizar a conservação deste local”, explicou a diretora presidente da Fundação, Luciene Deová.