Ação na feira livre conscientiza população sobre doenças falciformes

Corumbá deve regulamentar em breve o Programa de Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme. Com a iniciativa, o Município poderá normatizar o atendimento às pessoas que possuem a doença ou o traço, capacitar profissionais e direcionar de forma satisfatória as políticas públicas voltadas ao tratamento destes pacientes, principalmente para garantir o diagnóstico precoce.

 

O programa faz parte de uma série de ações desenvolvidas pela Prefeitura de Corumbá voltada às pessoas com doenças falciformes. A política vai auxiliar os pacientes a terem atendimento especializado, principalmente nas unidades de urgência e emergência. A intenção é também capacitar a rede de saúde, para que possa atender de forma rápida e eficaz estes pacientes.

 

A iniciativa segue ainda no mês de junho para a apreciação do Conselho Municipal de Saúde. Enquanto o programa está em fase de regulamentação, ações como as de conscientização são realizadas na cidade. Exemplo disso aconteceu nesta terça-feira (19), na feira livre do bairro Popular Nova.

 

“Aproveitamos a data (Dia Mundial de Conscientização sobre a doença Falciforme, celebrada nesta terça) para divulgar os sintomas, tratamento e ações desenvolvidas em Corumbá”, disse Davi Vital do Rosário, gerente de Promoção da Igualdade Racial.

 

A iniciativa surtiu resultados, segundo a presidente da Associação Corumbaense das Pessoas com Doenças Falciformes (Acodfal). “Em uma manhã, conseguimos detectar vários casos de traços e também de pessoas possivelmente com a doença. Estamos satisfeitos com essa ação”, comentou Walthenia Agda da Costa.

 

Esse foi o caso da feirante Dóris Gandia Mendes. A neta dela foi detectada com a doença quando nasceu, por meio do Teste do Pezinho. Quatro anos se passaram e a pequena Nitchely ainda não tinha recebido tratamento. “Ela sente dores nas pernas, principalmente quando está frio. Antes eu achava que não era nada, que a doença já tinha curado. Agora vou procurar ajuda médica. Foi muito bom ter recebido as informações certinhas dessa vez”, disse.

 

O diagnóstico precoce, acompanhamento regular com equipe de saúde, além de suporte social podem reduzir muito e até evitar os agravos e complicações da doença. Dados da Acodfal mostram que mais de 100 pessoas são atendidas pela Associação com o traço da doença. Nestes casos não há necessidade do tratamento especializado, mas a pessoa deve saber que se tiver filhos com outra que também herdou o traço, poderá ter uma criança com Anemia Falciforme.

 

Atendimento

 

Em Corumbá, os pacientes com doenças falciformes contam com um centro de atendimento médico e odontológico, assistência farmacêutica e laboratorial, inclusive com a realização de exames laboratoriais para a busca ativa dos familiares e adultos. A medida é realizada uma vez por semana no prédio da Apae. O agendamento da consulta é feito na sede da Acodfal, localizada na Casa da Cidadania, na rua 15 de Novembro, 400 – Centro. Para mais informações sobre o trabalho desenvolvido, basta entrar no site: www.acodfal.blogspot.com.