Prefeitura implanta galeria para combater alagamentos na cidade

A Prefeitura de Corumbá está solucionando um dos mais graves problemas do Bairro Aeroporto com a implantação de uma galeria de água pluvial. A obra está em sua fase final e foi projetada para evitar alagamentos comuns na região em períodos de chuvas. Está incluída no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 1) e será responsável pela captação de água pluvial de toda a região, inclusive da Popular Nova, Jardim dos Estados e imediações.

 

Esta é a quarta galeria celular prevista no PAC. Foi projetada para canalizar toda água que desce de parte da região sul da cidade até o Rio Paraguai, evitando transtornos como os ocorridos nos anos de 1992, fim de 2004 e início de 2005, como também nos primeiros meses de 2011, cujos índices pluviométricos superaram todas as marcas históricas, causando sérios problemas em vários bairros da cidade.

 

Esta galeria foi implantada na Rua José Fragelli e cortou todo o Aeroporto. Hoje, está em fase de conclusão na Popular Nova, esquina com a São Paulo. Toda rede de drenagem dessa região está sendo interligada a esta galeria celular com mais de um quilômetro de extensão.

 

“A orientação do prefeito foi projetar uma obra em condições de captar toda água pluvial que desce da região sul, como também eliminar os minadouros existentes no Bairro Aeroporto. É isto que procuramos fazer e a obra já está em fase de conclusão”, disse o secretário de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, Ricardo Ametlla.

 

Conforme o secretário, esta galeria será interligada a uma outra construída pela Prefeitura na Rua Joaquim Wenceslau de Barros, também no Bairro Aeroporto, também do tipo celular, até atingir uma outra galeria a céu aberto, às margens da rede ferroviária, até chegar à galeria do Aeroporto Internacional, que deságua no Canal do Tamengo.

 

A obra faz parte de um pacote do PAC I de R$ 79,3 milhões, sendo R$ 24,7 milhões oriundos de arrecadação da própria Prefeitura, aplicados em benfeitorias por toda a cidade, nas áreas de infraestrutura, educação, saúde, lazer, social e muitas outras.

 

Os serviços estão em fase de conclusão. As dificuldades foram inúmeras. A intenção do prefeito Ruiter Cunha é justamente eliminar estes minadouros com a implantação desta galeria. “A obra é justamente para eliminar este problema, canalizando a água até a outra galeria da Wenceslau de Barros”, ressaltou Ametlla lembrando ainda as dificuldades enfrentadas em razão do solo rochoso.

 

Esta é a quarta galeria em implantação na cidade. A primeira, na Rua Geraldino Martins de Barros, antiga Oriental, já foi concluída. Conta com 1,3 mil metros de extensão e está recebendo toda água captada pela galeria do Cristo Redentor (que corta a Popular Velha). Foi interligada à existente no centro da cidade, na Rua Tenente Melquíades de Jesus, ao lado da Escola Tenir. Foi também interligada à rede de água pluvial da Popular Velha e uma galeria (macrodrenagem) com 960 metros de extensão, que passa atrás do Parque Urbano Zumbi dos Palmares.

 

A segunda foi da Joaquim Wenceslau de Barros que receberá toda a água galeria da José Fragelli, e interligada à do Aeroporto Internacional. A terceira galeria, em fase de conclusão, é a da Rua Firmo de Matos, passando pela Duque de Caxias até a Joaquim Wenceslau de Barros. Foi interligada à galeria da Rua Luis Feitosa, atingindo a Alameda Havaí, no centro da cidade, até o Rio Paraguai.