Unidades de saúde se mobilizam para combater a hipertensão

As unidades de saúde da Prefeitura Municipal de Corumbá realizaram uma mobilização marcando o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, celebrado nesta quinta-feira (26). Caminhadas, lanches saudáveis e atividades educativas buscam sensibilizar sobre os riscos da doença que atinge 22,7% da população adulta brasileira, de acordo com dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2011).

Nas primeiras horas da manhã, os pacientes das unidades de saúde participaram de um alongamento e, logo em seguida, fizeram uma caminhada. No retorno, foram recepcionados com um farto café da manhã que continha alimentos naturais e saudáveis. A intenção foi mostrar que uma dieta balanceada, juntamente com a prática de exercícios físicos, pode evitar a hipertensão arterial.

Em Corumbá, as unidades de saúde trabalham a prevenção e o combate à Hipertensão Arterial rotineiramente. Entre as ações desenvolvidas, destacam-se os grupos organizados pelo Núcleo de Saúde da Família. As equipes diariamente realizam alongamentos e exercícios com os pacientes, além de incentivar a formação de grupos de caminhada e também atos de alimentação saudável. Os agentes comunitários de saúde, juntamente com as enfermeiras, entram em contato com os pacientes e divulgam as ações preventivas.

Em outros tempos, os pacientes passavam nas unidades somente para pegar os remédios contra a Hipertensão, agora eles aproveitam a oportunidade para adotarem hábitos saudáveis. Além disso, o grupo Hiperdia realiza reuniões mensais com os pacientes e trabalha no monitoramento da doença e das ações preventivas. Por meio do programa “Saúde Não Tem Preço”, do Ministério da Saúde, os hipertensos têm acesso a medicamentos contra a doença gratuitamente. Em Corumbá, a iniciativa é viabilizada por meio da Farmácia Popular, que está localizada na rua 13 de Junho, 1.288. O telefone de contato é 3907-5345.

Hipertensão

A pessoa é considerada hipertensa quando a pressão arterial é igual ou superior a 14 por 9. A doença é causada pelo aumento na contração das paredes das artérias para fazer o sangue circular pelo corpo. Esse movimento acaba sobrecarregando vários órgãos, como coração, rins e cérebro. Se não for tratada, a hipertensão tem complicações como entupimento de artérias, Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto.

A frequência da doença avança com o passar dos anos. Se entre 18 e 24 anos, apenas 5,4% da população relatou ter sido diagnosticada hipertensa, aos 55 anos a proporção é 10 vezes maior, atingindo mais da metade da população (50,5%) estudada. A partir dos 65 anos, a mesma condição é observada em 59,7% dos brasileiros. A maior frequência de diagnóstico em mulheres ocorre em todas as faixas etárias.

A pesquisa também aponta que o nível de escolaridade tem forte influência no diagnóstico da doença entre a população feminina. Enquanto 34,4% das mulheres com até oito anos de escolaridade afirmaram ter diagnóstico médico de hipertensão arterial, o percentual é menor – 14,2 % – entre mulheres com nível superior de educação. Com informações do Ministério da Saúde.