Ruiter diz que aumento da produção de energia atrai indústrias

O aumento da capacidade de produção de energia elétrica será de extrema importância para Corumbá atrair novas indústrias. É o que pensa o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) que, na manhã desta terça-feira (10), participou da entrega do novo sistema de distribuição de energia elétrica da Enersul, que aumentou a potência da sua subestação local de 40 para 69 MVA. Isto permite a cidade alcançar um crescimento de até 72,5%. A solenidade foi comandada pelo diretor de Operações da Empresa, Edmir Bosso, que contou com a presença inúmeras autoridades locais e da própria empresa.

"Sempre tivemos problemas com relação ao sistema energético e isto dificultava chegada de novos empreendimentos. Agora, com o aumento da capacidade de produção de energia, foi solucionado um grave problema e Corumbá está em condições de receber grandes projetos industriais", comemorou Ruiter Cunha, para lembrar que a produção será maior ainda a partir da conclusão do ‘linhão', projeto da Enersul, de Anastácio a Corumbá, "que vai suprir de vez as nossas necessidades e fazer com que Corumbá tenha totais condições de ofertar energia para todas indústrias que desejarem se instalar em nossa região", reforçou.

Ruiter chegou à subestação da Enersul e, no escritório, foi recebido pelo gerente de Engenharia de Manutenção, Jair Doniack, que apresentou-lhe as instalações externais da empresa. Estava acompanhado do secretário de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques, e do subsecretário de Relações Institucionais, Lamartine de Figueiredo Costa. O prefeito comentou que, em termos de energia elétrica, a cidade tem muito que comemorar. "O grande entrave do nosso desenvolvimento era energia elétrica. Isto agora está sendo superado", afirmou, elogiando a direção da Enersul pelos investimentos, e também o senador Delcídio do Amaral, "pessoa ímpar que tem trabalhado pelo desenvolvimento da nossa região. Corumbá está virando a página do já teve", acentuou, ao fazer uma referência ao passado, lembrando inclusive o porto fluvial, considerado no passado, como um dos maiores do Brasil.

Energia com qualidade

Edmir Bosso informou que a Enersul investiu R$ 4,3 milhões na modernização e instalação de equipamentos com maior robustez e de tecnologia avançada, garantindo a continuidade da produção de energia com qualidade para toda a região. "Passamos dos 40 para 69 KWA de potência e isto garante um crescimento de até 72,5% e Corumbá continuar sendo atendida com os mesmos indicadores de qualidade no fornecimento de energia", disse, para lembrar que, a cidade, está melhor atendida até que a própria Capital do Pais, Brasília. "Em 2011, Brasília ficou uma média de 15 horas sem energia. Em Corumbá foi de 6 horas e meia", lembrou.

Bosso informou também que o aumento de potência na subestação de Corumbá faz parte de um programa global de investimentos que, do ano passado para cá, atingiu a casa de R$ 170 milhões, levando essa melhoria de condições para o crescimento econômico a outros municípios. Comentou que todo o serviço para aumentar a capacidade da subestação de Corumbá foi realizado sem necessidade de desligamento do sistema. "Isso significa que não houve alteração no fornecimento de energia para a comunidade que receberam essas obras. Isso porque tudo foi feito com a utilização de subestações móveis e com serviços em linha viva, ou seja, com a subestação energizada. Por meio desse recurso, foi possível ampliar a potência e, ainda, dar continuidade ao fornecimento de energia, com o compromisso de sempre preservar o conforto do cliente", declarou.

O vereador Marcos de Souza Martins (PT) que representou o senador Delcídio do Amaral (PT) e o Poder Legislativo, também elogiou os serviços executados pela Enersul na cidade, "importantes para Corumbá e também Ladário". Destacou também que não apenas uma ampliação do sistema, mas também a "oferta de energia de qualidade". Segundo ele, esta ampliação do sistema e mais o ‘linhão', são "frutos da visão de pessoas comprometidas com o desenvolvimento econômico e sustentável da região".