Prefeitura projeta hospital de campanha para atender pacientes

Diante do aumento de notificações de casos da dengue (416 até a 14ª semana epidemiológica), a Prefeitura de Corumbá já está projetando a instalação de um hospital de campanha para ampliar estrutura de atendimento aos pacientes, desafogando o Pronto Socorro Municipal. Foi o que informou na manhã desta quarta-feira (11) a subsecretária de Saúde, Maria Antonieta Sabatel, durante reunião do Comitê Municipal de Combate à Dengue. O assunto já foi tratado inclusive com o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), que, inclusive, já orientou sua equipe a tomar medidas necessárias para evitar que a cidade volte sofrer uma grande epidemia da doença, exemplo de 2009, quando foram registradas mais de sete mil notificações.

Antonieta informou que a intenção é montar uma estrutura próximo à divisa com a Bolívia, para atender também os pacientes bolivianos com dengue. Segundo ela, com aumento da demanda no Pronto Socorro Municipal, em virtude do aumento de notificações da doença, a Prefeitura está adotando uma série de medidas para ampliar as condições de atendimento à população. "O hospital de campanha seria uma alternativa viável e, instalado na divisa com a Bolívia, poderíamos dar maior suporte aos pacientes do país vizinho, facilitando o acesso deles aos serviços de saúde", comentou.

O coordenador geral de Atenção em Saúde do Município, médico Eduardo Lasmar Pacheco, comentou que o hospital de campanha seria mais um reforço no atendimento à população. Adiantou que a Prefeitura já está adotando outras medidas, entre elas o funcionamento durante 24 horas do laboratório, visando coleta de material para exames, acelerando o processo de tratamento da dengue. Outra decisão foi manter as unidades de saúde funcionando durante todo o dia, inclusive no horário de almoço, para atender pacientes com suspeitas da doença.

Outra informação é com relação aos reservatórios de água em nível de solo, responsáveis por mais de 60% dos índices de infestação predial da dengue. Segundo Antonieta, a Prefeitura está adquirindo cerca de 10 mil capas que serão instaladas nestes locais para evitar proliferação do Aedes aegypti.

Exército

Além de montar estrutura para atendimento aos pacientes, a Prefeitura busca também reforçar a parceria com o Exército Brasileiro, para ações de prevenção e combate à dengue. O assunto já foi tratado também com o prefeito e o secretário de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques, que também participou da reunião do Comitê, vai ser um dos interlocutores com o comando do Exército na cidade, para ampliar a parceria.

Antonieta Sabatel ressalta que a participação dos militares é de extrema importância, principalmente pelo fato de que a equipe formada por agentes de endemias está reduzida, devido a licenças médicas e até mesmo demissões. Conforme ela, quatro foram exonerados em virtude de falsificação de registros diários de ações de campo, e outros seis correm o mesmo risco. Explicou que a Prefeitura não admite erros como os cometidos por estes agentes e que, além do processo administrativo, eles correm riscos de responder processo criminal, por colocar em risco a saúde da população.