Artesanato produzido no CAPS ad pode ser conhecido no Festival

O artesanato tem sido uma das saídas para dependentes de substâncias psicoativas se livrarem mais rapidamente do vício. Tem sido assim no Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS ad) que, em março, completou quatro anos de atendimento em Corumbá. Entre as mais variadas atividades, as aulas de artesanato têm se despontado dentro da instituição. Hoje, 20 dependentes participam com frequência das aulas ministradas pela professora Odelta Maria Lopes. O resultado pode ser visto em uma barraca cedida para o CAPS ad, dentro do circuito do Festival América do Sul.

São mais de 100 peças artesanais expostas na barraca instalada próximo ao Palco Pantanal, na Avenida General Rondon. As psicólogas Silvia Segóvia Freire e Ana Lúcia Provenzano fazem questão de apresentar os trabalhos dos pacientes. “Eles utilizam muito materiais recicláveis, palha de milho, folha de camalote, entre outros. Tudo aqui é produzido por eles próprios, utilizando somente o que eles encontram na natureza”, diz Silvia, apontando as peças.

Provensano mostra um relógio de parede confeccionado por um dos pacientes, a partir da utilização de um disco de vinil. Diz que eles transformam vários tipos de materiais em belas peças artesanais dos mais variados tamanhos, inclusive figuras em miniatura, utilizando castanhas, palhas, entre outros. “Até caixas de frutas e verduras eles aproveitam. Hoje, 20 frequentam de forma mais assídua e, quando chega alguém, começa a conversar muitos, eles pedem para se retirar”, diz Provenzano, enaltecendo a forma concentrada como eles produzem as peças que, além de vistas, podem também ser adquiridas pelo público.

O CAPS ad

OCAPS ad foi implantado pela administração do Prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) e, nestes quatro anos, já atendeu 1,5 mil pacientes. Hoje são 40 em tratamento ambulatorial diário. A instituição trabalha com uma equipe multidisciplinar de 16 pessoas. Silvia é a coordenadora. Além dela, Ana Provenzano e a professora de artesanato Odelta, integram o Centro a terapeuta ocupacional Liliane Pinho de Almeida; educadora física Sheila Duarte de Amorim; assistente social Maria Etelvina de Oliveira; psiquiatra Daniella Brunelli de Santana; médico Manoel João Oliveira; dentista Marcelo Colombo; auxiliar de dentista Allan Douglas Coelho; enfermeiro Huanderson de Lima Santos; auxiliar de enfermagem Benedito Rosa de Campos; agente de serviços de saúde José Marcio Preza; motorista Cleyton Rodolfo Ferreira; auxiliar de serviços gerais Elizabeth da Costa Soares, e o guarda municipal Wandi de Mello. O CAPS ad funciona na rua Cabral, 1.208 – Centro. O telefone de contato é o 3907-5427.