Ruiter propõe políticas públicas de atendimento aos ribeirinhos

Transformar o Povo das Águas em um programa permanente de atendimento às famílias ribeirinhas, é o que pretende o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) que encaminhou projeto de lei à Câmara de Vereadores para garantir que esta ação tenha continuidade nas futuras administrações. A iniciativa visa implantação de uma lei para subsidiar a implantação de políticas públicas sociais no sentido de promover o desenvolvimento comunitário integrado e sustentável nas comunidades das Regiões das Águas, envolvendo todos os segmentos públicos, sociedade civil organizada e colaboradores, que possam atender esta população, por meio de serviços públicos de qualidade.

O anuncio foi feito pelo próprio prefeito na noite de terça-feira (20), durante embarque da equipe que, nesta quarta-feira, iniciou atendimento às comunidades da região do Paiaguás, no Taquari. Ruiter e a primeira dama Beatriz Cavassa de Oliveira, secretária especial de Integração das Políticas Sociais, que coordena o programa, conversaram longamente com os integrantes do grupo, responsável pelo atendimento a famílias de ribeirinhos residentes em áreas de difícil acesso.

"É um programa social de grande alcance que está permitindo a Prefeitura e parceiros, atender um povo que realmente precisa. Estamos trabalhando para que seja transformada em uma política pública, para que tenha sequência nas futuras administrações", ressaltou, lembrando que já encaminhou projeto de lei neste sentido à Câmara de Vereadores. Na mensagem, lembrou as dificuldades enfrentadas pelas famílias residentes na área rural, em especial das regiões ribeirinhas, cujos prejuízos econômicos são visíveis, devido às enchentes dos rios e também no período da seca no Pantanal, que desabrigam e deixam famílias sem produtos para subsistência, provocando o êxodo rural ou a permanência dessas famílias nas propriedades, em condições precárias.

Comentou que devido principalmente às grandes distâncias que geram dificuldades de comunicação e transporte, o alcance ao sistema público é insuficiente na área rural e nas Regiões das Águas. "A rede de assistência é quase inexistente. São realizadas, apenas, ações emergenciais nessas comunidades; sem medidas preventivas, de formas paliativas, operando com sua capacidade esgotada e demandas reprimidas, deixando essas populações praticamente excluídas", explicou o prefeito.

Ruiter ressalta que, diante da realidade na Região das Águas, há necessidade da implantação de políticas públicas para as famílias ribeirinhas, com ações de promoção à saúde, assistência social, educacionais, de transporte, de lazer e econômicas, que permitam mudanças de vida, minimizem a situação de exclusão social e viabilizem o desenvolvimento comunitário integrado e sustentável.