Corumbá apoia ações na fronteira para evitar avanço da dengue

A Prefeitura de Corumbá está dando total apoio às autoridades ligadas ao setor de saúde das cidades bolivianas localizadas na fronteira, para evitar o avanço da dengue na região. Depois de Puerto Suarez, no último sábado, 40 agentes de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal de Saúde, realizaram o Levantamento de Índice Amostral (LIA), que é semelhante ao Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa), executado no Brasil, nas cidades de Puerto Quijarro e Arroyo Concépcion, trabalho que vai permitir traçar uma estratégia de ação do outro lado da fronteira, visando eliminação dos focos da doença.

O levantamento foi realizado com apoio de alunos da rede de ensino da Bolívia, cumprindo assim um cronograma estabelecido entre a Secretaria de Saúde de Corumbá e autoridades ligadas à Rede de Saúde Pública da Província de German Busch. Os dados estão sendo avaliados pela equipe do CCZ e o resultado deve ser divulgado até quarta-feira (29).

Antes mesmo de sair o resultado do levantamento, a subsecretária de Saúde, Maria Antonieta Sabatel, demonstra enorme preocupação com a situação do outro lado da fronteira. No sábado, em Quijarro, ele conversou bastante com a coordenadora geral de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Corumbá, médica veterinária Viviane Ametlla, já tratando der estratégias que devem ser adotadas para conter avanço da doença. Observou que Corumbá, por uma orientação do prefeito Ruiter Cunha, dará total apoio às autoridades bolivianas no desenvolvimento de uma campanha contra a dengue.

Puerto Suarez está com índices de infestação do mosquito de 18,82%, considerado de alto risco. O levantamento foi realizado em 744 imóveis localizados em 14 bairros daquela cidade. Em um deles, Victória, a incidência foi de 64,71%. Os maiores responsáveis pela alta incidência, a exemplo de Corumbá, são os reservatórios a nível de solo, com 62,7%, seguido depósitos móveis (vasos e pratos, frascos com plantas, bebedouros de animais, entre outros), com 15,7%, e pneus e outros materiais rodantes, com 14,5%.

Viviane lembra que Puerto Suarez está com índices de infestação do mosquito de 18,82%, considerado de alto risco. O levantamento foi realizado antes do carnaval, em 744 imóveis localizados em 14 bairros daquela cidade. Em um deles, Victória, a incidência foi de 64,71%. Os maiores responsáveis pela alta incidência, a exemplo de Corumbá, são os reservatórios a nível de solo, com 62,7%, seguido depósitos móveis (vasos e pratos, frascos com plantas, bebedouros de animais, entre outros), com 15,7%, e pneus e outros materiais rodantes, com 14,5%. "Creio que em Quijarro e em Concépcion os números não serão diferentes", comentou a coordenadora, diante da situação encontrada pelos agentes de endemias nas duas localidades.

No sábado, em Quijarro, as autoridades brasileiras foram informadas sobre a notificação de dois óbitos por suspeita da doença. Um deles foi confirmado e, conforme informações das próprias autoridades bolivianas, o paciente, com 25 anos, procurou o médico de forma tardia, não seguiu as recomendações e não quis ficar internado. Chegou ser encaminhado para o CTI de Corumbá, mas não resistiu. Seu caso já era crítico. A causa da morte foi dengue hemorrágica.

Como se sabe, algumas regiões da Bolívia estão com epidemias de dengue e as ações desencadeadas nas cidades fronteiras com Corumbá, são justamente para evitar que a doença avance na região. Em Puerto Suarez já está decidida a realização de um grande mutirão de limpeza, para eliminação dos focos. O mesmo deve ser seguido em Quijarro e Concépcion. Estas estratégias terão apoio também da Prefeitura de Corumbá.