Ribeirinhos do Passo do Lontra recebem capacitação aquaviária

Mais de 20 ribeirinhos da região do Passo do Lontra participam durante esta semana de um Curso de Formação Aquaviária – Nível Especial (CFAq 3) proporcionado por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Corumbá e a Marinha do Brasil. A capacitação visa regularizar a situação dos aquaviários que atuam nos rios pantaneiros, seja no transporte de mercadorias ou na atividade turística. A iniciativa atende a uma reinvindicação dos moradores que precisam da Caderneta de Inscrição e Registro (CIR), oferecida pela Capitania Fluvial do Pantanal, para poderem trabalhar dentro da legalidade.

Com 40 horas/aula de duração o curso oferece noções sobre procedimentos emergenciais, de segurança e sobrevivência em embarcações, além de informações sobre a legislação vigente e sinalização náutica. "Muitos dos alunos deste curso já conhecem os rios pantaneiros, mas é importante ter a situação regularizada e eles precisam ter o conhecimento sobre como navegar com segurança", observou o encarregado da Divisão de Segurança do Tráfego Aquaviário, capitão-tenente Fabrício Fróes Teixeira.

O pedido para que o Curso de Formação Aquaviária fosse realizado no Passo do Lontra foi feito para a Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania. A partir da iniciativa do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) – Itinerante foi possível levar capacitação e possibilidade de profissionalização para as famílias da região. "O Cras Itinerante buscou a parceria com a Capitania Fluvial do Pantanal, que prontamente atendeu o nosso pedido. Dessa forma, possibilitamos que os moradores de regiões afastadas da área urbana possam fazer o curso", ressaltou a gestora Lilia Bezerra. O curso também foi realizado em 2011 juntamente com a 14ª ação do Programa Social Povo das Águas, quando foram beneficiados 48 moradores das margens do rio Paraguai Mirim.

O casal, Agenor Greff Júnior e Darcilene Auxiliadora da Silva Dias, mora na região do Passo do Lontra e trabalham com turismo e pesca. Para eles, o curso é uma oportunidade de conseguir empregos melhores. "Todo ano tem trabalho para quem sabe pilotar, seja na época da pesca, ou quando está na piracema o fluxo de turistas para o turismo contemplativo aumenta bastante", disse ressaltando a importância de se ter a situação regularizada para que não haja problemas com a fiscalização. De acordo com a sua esposa, cada dia mais o público feminino está se interessando pela atividade aquaviária. "Antigamente só sobrava emprego de camareira ou cozinheira, agora já temos mulheres pilotando e gostando de trabalhar nessa área", disse.

Além da capacitação a equipe técnica do Cras Itinerante realiza a atualização das informações das 35 famílias cadastradas no Programa de Atendimento Integral à Família (PAIF). A ação social será realizada até a próxima sexta-feira na Base de Estudos do Pantanal, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).