Prefeitura intensifica ações contra a dengue a partir de quarta

A Prefeitura intensifica a partir de quarta-feira (04) a mega ação de combate à dengue em toda área urbana de Corumbá. O trabalho será desenvolvido pelos agentes de endemias e soldados do Exército Brasileiro, reforçada pelos trabalhadores contratados pela Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos. O objetivo é eliminar os focos da doença que, durante o verão, aumentam bastante em virtude das chuvas.

A coordenadora geral de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, informou que os trabalhos realizados antes do Natal pelas equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), com apoio dos soldados do Exército Brasileiro, foram importantes para reduzir os riscos da doença em bairros como Maria Leite, Guató e Aeroporto. "São regiões com índices de infestação predial considerados altos e que já foram trabalhados nesta primeira fase", disse, lembrando que a mega ação acontecerá em toda a cidade.

Viviane lembrou que, nesta fase, o 17º Batalhão de Fronteira disponibilizou 20 militares para desenvolvimento dos trabalhos, além de veículos, inclusive um com sistema de som para um trabalho de conscientização na cidade, conclamando a população a ajudar na eliminação dos focos da dengue. A ação está sendo coordenada pelo CCZ e, conforme a supervisora chefe do órgão, bióloga sanitarista Grace Bastos, a presença dos militares é importante para a conquista de um maior apoio da população, devido ao respeito que a comunidade tem por eles. "Isso contribui para realização do nosso serviço. É que muitas pessoas acabam dificultando a entrada de nosso agente nos domicílios e, com os soldados, fica bem mais fácil", afirmou.

A partir de quarta-feira, conforme cronograma da Secretaria de Saúde, os trabalhos serão intensificados em toda a cidade, inclusive em áreas de difícil acesso, imóveis fechados, entre outros. Para a ação em imóveis os agentes e militares contarão com apoio de um especialista (chaveiro) para abertura dos domicílios, como também de funcionários do setor de Vigilância Sanitária, que serão responsáveis pela notificação dos proprietários, conforme previsto em lei.

O mesmo procedimento será adotado em relação aos terrenos baldios que podem colocar a saúde pública em risco. Caso o proprietário ou responsável não faça a limpeza, a Prefeitura vai executar e cobrar pelo serviço. Além disso, os omissos estarão sujeitos a cobrança de multas, juros, atualização monetária e demais despesas decorrentes da exigibilidade do débito, como também a perda de descontos no IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), pertinente ao imóvel, bem como de outros benefícios fiscais.