Parceiros estudam criação de uma comissão de saúde na fronteira

A criação de uma comissão de saúde de fronteira foi o principal assunto abordado na reunião realizada na segunda-feira (09), entre integrantes da Secretaria Municipal de Saúde, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e da Rede de Saúde Pública da Província de German Busch (Bolívia). A pretensão é massificar as ações relacionadas aos setores de vigilância em saúde e também da rede de atenção básica à saúde, proporcionando melhor qualidade de vida à população residente na região de fronteira – Corumbá e Ladário (Brasil), Puerto Quijarro, Puerto Suarez e Arroyo Concepción (Bolívia).

O encontro surgiu de uma preocupação das autoridades bolivianas ligadas ao setor de saúde pública que, na semana passada, buscaram apoio da Prefeitura de Corumbá, visando desenvolvimento de um plano de ação para combater a dengue nas cidades bolivianas localizadas na divisa. A preocupação foi manifestada pelo médico Esthewaldo Justiniano e pelo técnico Ronald Vargas, ambos da Rede de Saúde da Província de German Busch, e se deve ao grande número de casos que estão ocorrendo na região de Santa Cruz e em La Paz

O encontro foi com a subsecretaria de Saúde, Maria Antonieta Sabatel; coordenador geral de Atenção em Saúde, Eduardo Lasmar Pacheco, e coordenadora geral de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, quando ficou definida uma reunião na segunda-feira, reforçada com as presenças do infectologista Rivaldo Venâncio da Cunha e de Antonio Flávio Ferraz, ambos da Fiocruz; Edgar Costa, da UFMS, responsável pelo programa estudos fronteiriços, além de representantes do Pronto Socorro e do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Antônio Ferraz apresentou um trabalho que a Fiocruz está desenvolvendo em parceria com o Paraguai, na região de fronteira com Ponta Porá, cujo resultado está sendo considerado positivo. Antonieta explicou que a intenção da Prefeitura de Corumbá é aproveitar esta experiência e desenvolver o mesmo projeto na região pantaneira, para melhorar as condições de vida não só dos brasileiros, mas de bolivianos que residem na cidades vizinhas a Corumbá.

O primeiro passo será dado na próxima semana, dias 17 e 18, quando a equipe da Fiocruz retorna a Corumbá e, ao lado de parceiros, inclusive da Agência Nacional de Saúde, realizam uma pesquisa nas cidades bolivianas e em Corumbá, para levantar a atual e real situação do setor de saúde, traçando o perfil da região. "Precisamos primeiro conhecer a realidade das cidades bolivianas e trazê-los a Corumbá para que eles conheçam a realidade aqui. Somente após isto teremos condições de traçar um perfil e iniciar um trabalho mais eficaz", disse Antônio Ferraz.