Hanseníase é tema de campanha de conscientização em Corumbá

Acabar com o preconceito é um dos principais objetivos da campanha de conscientização que a Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza na cidade, com foco na hanseníase. A preocupação das autoridades é diagnosticar a doença precocemente, primordial para o tratamento e a cura. No último domingo de janeiro, celebra-se o Dia Mundial de Combate à Hanseníase, instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A data será marcada na cidade com uma ação na feira-livre, local de grande concentração de pessoas, com realização de um trabalho de orientação à população.

Além dessa ação específica, equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF) já realizam de forma contínua, um trabalho em suas áreas de atuação, sobre a doença, como parte Programa Municipal de Combate à Hanseníase. O objetivo é diagnosticar a doença de forma precoce, primordial para o tratamento e a cura, como também redução do preconceito contra o portador da doença. Na cidade o programa é desenvolvido no Centro de Saúde da Ladeira, na Ladeira Cunha e Cruz, considerado unidade referência. Tem como médica responsável Carla Maria Rosas Leal.

Além de trabalhar a população contra o preconceito, a Prefeitura de Corumbá realiza também uma ação com os profissionais de saúde, como forma de alertá-los quanto aos sinais e sintomas. Com a população, as equipes orientam as pessoas para procurar as unidades de saúde em busca do diagnóstico precoce, a partir do momento que observar algum sintoma e, ao mesmo tempo, buscar a redução do preconceito contra o portador de hanseníase.

Atualmente, 21 pessoas estão em tratamento no Centro de Saúde da Ladeira. Somente este ano, surgiram quatro casos da doença, além de um quinto, cujo portador voltou a se contaminar. Outros 16 já estavam em tratamento em 2011. Kátia Mara Maciel, uma das técnicas do programa, afirma que o maior problema está justamente no preconceito, inclusive do portador da doença, que acaba não realizando o diagnóstico a tempo e, muitas vezes, contaminando outras pessoas.

A hanseníase é uma doença infecciosa e contagiosa causada por um bacilo denominado Mycobacterium leprae. Não é hereditária e sua evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa que foi infectada. A hanseníase tem cura, sendo que o tratamento é feito nas unidades de saúde e é gratuito. O sucesso e rapidez da cura dependem do grau de precocidade do diagnóstico. Denominado poliquimioterapia, o tratamento é feito via oral, constituído da associação de dois ou três medicamentos.

São sinais e sintomas da doença a sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nas extremidades; manchas brancas ou avermelhadas, geralmente com perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e tato; áreas da pele aparentemente normais que têm alteração da sensibilidade e da secreção de suor; caroços e placas em qualquer local do corpo; diminuição da força muscular (dificuldade para segurar objetos).