Prefeitura e Exército iniciam ação de combate à dengue na cidade

As ações de prevenção e combate à dengue estão sendo intensificadas em Corumbá com a realização de uma megaoperação em toda a área urbana do município, com participação dos agentes de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), soldados do Exército Brasileiro, trabalhadores contratados pela Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, com apoio de veículos, máquinas pesadas e outros equipamentos necessários principalmente para serviços de limpeza de terrenos baldios, retirada e transporte de material considerado propício à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Na manhã desta quarta-feira (14), a megaoperação foi discutida durante uma reunião no gabinete do subsecretário de Relações Institucionais da Prefeitura, Lamartine Figueiredo Costa, com participação do comandante do 17º Batalhão de Fronteira, coronel Marcelo Dutra de Oliveira; subsecretária de Saúde, Maria Antonieta Sabatel; coordenadora geral de Vigilância em Saúde, médica veterinária Viviane Ametlla; supervisora chefe do CCZ, bióloga sanitarista Grace Bastos; superintendente de Serviços Urbanos, Willian Zimi Padilha, além do sargento Cavalcante.

Ficou definido que, antes das equipes iniciarem os trabalhos de campo, os soldados liberados pelo Exército Brasileiro vão participar de uma palestra na tarde desta quarta-feira, no CCZ, sobre a doença, como prevenir, além de outras informações necessárias. A estratégia é massificar o trabalho em regiões consideradas preocupantes, conforme os índices levantados com frequência pelo CCZ. "A situação hoje é relativamente tranquila, bem diferente dos anos anteriores. Mas, não podemos nos descuidar. Por isso é preciso realizar este trabalho para eliminar focos do mosquito, além de conscientizar a população, para evitar que o quadro se modifique", pregou Viviane.

Até antes do Natal, as ações estarão concentradas em bairros como o Maria Leite, Cristo Redentor, Nova Corumbá, Guató e Aeroporto. "A participação dos militares é de extrema importância na realização desses serviços, principalmente de conscientização da população", comentou o subsecretário Lamartine de Figueiredo Costa, que recebeu do comandante do 17º BFron, a informação de que, no início da próxima semana, durante três dias, colocará à disposição da Prefeitura, um veículo com som para percorrer os bairros, fazendo um trabalho educativo junto à comunidade.

O coronel lembrou que a participação do Exército nesta megaoperação reforça ainda mais a parceria existente entre a Prefeitura e a instituição militar. Lembrou que este trabalho não se resume somente na operação que se inicia. "É constante. Estamos juntos durante todo o ano, realizando ações importantes para a população", acentuou. O Exercito, além da dengue, auxilia a Prefeitura também em outras atividades como vacinação contra raiva animal, atendimento a ribeirinhos, entre outros.

A subsecretária de Saúde Maria Antonieta Sabatel informou que a equipe que estará combatendo a dengue em Corumbá, será reforçada também com trabalhadores contratados por tempo determinado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos. Disse que já está em entendimentos com a pasta, visando a liberação o mais rápido possível do pessoal. Willian Padilha, responsável pela área, adiantou que de um total de 150 homens, 40 vão atuar junto com os agentes de endemias e com os militares. Os demais vão ficar na parte da limpeza da cidade, como roçada de terrenos baldios.

A megaoperação é apontada como necessária, pois antecedem o verão, período com intensas chuvas e apropriado para crescimento da dengue. Além dos agentes de endemias, militares e pessoal contratado pela Prefeitura, os agentes comunitários de saúde também deverão estar engajados no processo, realizando um trabalho de conscientização para eliminação de focos do Aedes aegypti, transmissor da doença, direto com a população, durante as visitas domiciliares que realizam.

Antonieta observa que todos os esforços são necessários neste momento, já se precavendo para o verão, período considerado crítico. Ao mesmo tempo em que a mega operação é iniciada, a Secretaria de Saúde já está com um plano de contingência para ser colocado em prática, principalmente em caso de epidemia. "Temos que estar preparados principalmente em caso de circulação na nossa região dos vírus tipos 3 e 4", destacou Viviane Ametlla, lembrando que o Ministério da Saúde assegurou ao município pantaneiro, um incentivo financeiro de 20% do valor anual do Piso Fixo de Vigilância e Promoção à Saúde (PFVPS) que é de R$ 589.408,21 (R$ 117.881,64), que será aplicado justamente no plano.