Preço de produtos natalinos pode variar até 68%, mostra Procon

Pesquisa realizada pela Gerência Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Corumbá pesquisou o preço de 21 itens cujo consumo aumenta consideravelmente durantes as festas de final de ano. O trabalho de campo foi realizado entre os dias 6 e 7 de dezembro, quando seis estabelecimentos comerciais da cidade foram analisados. Cinco produtos ficaram mais baratos em relação aos valores praticados no ano passado.

O pernil temperado com osso registrou a maior queda. O menor valor praticado no ano passado foi de R$ 15,90. Agora o produto pode ser encontrado por R$ 9,85. Diferença de R$ 6,05, ou 38,05%. Já a lata de uma marca de chocottone, com 750 gramas, que custava R$ 24,90, hoje pode ser comprada por R$ 18,95. Redução de 23,90%. Um produto semelhante, mas com 500 gramas, é vendido ao valor R$ 14,33. Em 2011 ele custava R$ 17,75. Diferença de 19,17%.

O panettone de uma outra marca, também com 500 gramas, ficou 7,21% mais barato em 2011. No ano passado o preço era R$ 14,98. Atualmente é de R$ 13,90. Entre as bebidas pesquisadas, a garrafa de sidra com 660 milímetros registrou uma diminuição de 3,41% em seu valor, saindo de R$ 4,10 para 3,96. A pesquisa do Procon revelou também que alguns produtos tiveram um aumento muito acima da inflação neste período.

O quilo de frutas cristalizadas, por exemplo, que foi encontrada por R$ 1,98 em 2010, hoje pode custar até R$ 7,95. Variação de 301,52%. O preço das nozes sem cascas aumentou 37,21%, saindo de R$ 43,00 para R$ 59,00. Outro caso é o peru temperado, que custava R$ 9,49 e neste ano não sai por menos de R$ 11,90. Duas marcas de panettone 500 gramas também ficaram bem mais caras na cidade, ambas com aumento de 22,67% no valor.

O gerente do Procon de Corumbá, Alexandre Carmo Taques Vasconcelos, explicou que a redução na quantidade dos itens pesquisados (em 2010 foram 44) ocorreu pela falta de oferta destes produtos no mercado local. Em compensação, o número de mercados pesquisados foi maior. "No ano passado foram visitados quatro estabelecimentos, enquanto neste ano o pesquisador foi a seis locais diferentes", afirmou Alexandre, que detalhou também a metodologia aplicada no levantamento.

"A comparação de preços foi efetuada somente entre os itens encontrados em dois ou mais estabelecimentos. Há casos que encontramos produtos em apenas um fornecedor, pois, alguns estabelecimentos não trabalharão com o produto este ano ou, que farão a encomenda próxima das datas festivas", complementou. O gerente do Procon ainda orientou os consumidores a anteciparem as compras natalinas.

"Pode acontecer de acabar os produtos que estão mais em conta. E como existe uma diferença grande de preço em relação aos mercados, o consumidor deve pesquisar pelas melhores ofertas. Assim ele pode gastar menos na sua ceia ou ainda comprar mais produtos gastando o mesmo valor", alertou Alexandre.

O Procon informa ainda que a relação dos produtos com seus preços e respectivos estabelecimentos, estão à disposição da população na sede do órgão, na rua Quinze de Novembro, 400, centro de Corumbá, na Casa da Cidadania, onde uma equipe composta por oito servidores está à disposição da população. Os consumidores também podem receber informações pelos telefones 3907-5431 e 3907-5332. Confira a pesquisa completa.