Infraestrutura e o Exército reforçam ações de combate à dengue

O setor de saúde pública da Prefeitura de Corumbá ganha um reforço fundamental para as ações de prevenção e combate à dengue na cidade. A megaoperação que será desencadeada neste período que antecede o verão, contará com apoio de mais 170 pessoas, dos quais, 150 trabalhadores que estão sendo contratados pelo Poder Executivo, por meio da Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos. Desses, 40 vão auxiliar diretamente os 60 Agentes de Endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Secretaria de Saúde, juntamente com 20 soldados disponibilizados pelo Exército Brasileiro.

O assunto foi abordado na reunião da manhã desta quarta-feira (07) dos integrantes do Comitê Municipal da Dengue, com participação de representantes das secretarias de Saúde (Vigilância em Saúde, Vigilância Epidemiológica, Vigilância Sanitária e CCZ), Educação e de Infraestrutura, além da coordenação estadual de vetores. O encontro foi comandado pelo coordenadora geral de Vigilância em Saúde, médica veterinária Viviane Ametlla, que recebeu a confirmação da Secretaria de Infraestrutura em relação à contratação temporária de 150 pessoas.

"Quarenta vão estar atuando diretamente com os agentes de endemias e os 20 soldados disponibilizados pelo Exército, nas ações desenvolvidas pelas equipes do CCZ. Os demais vão atuar no setor de limpeza, inclusive de terrenos baldios, o que reflete diretamente na eliminação de focos da dengue. Todos vão estar participando desta operação contra a doença", explicou.

Além das 150 pessoas que estão sendo contratadas por tempo determinado pela Prefeitura para trabalhar na limpeza da cidade (roçada e capina, principalmente), e dos 20 soldados do Exército, o CCZ vai disponibilizar toda a sua equipe nas ações. São 60 agentes de endemias distribuídos em seis equipes, reforçadas pelos 40 trabalhadores e mais 20 militares. Além disso, os agentes comunitários de saúde deverão estar engajados no processo, realizando um trabalho de conscientização para eliminação de focos do Aedes aegypti, transmissor da doença, direto com a população, durante as visitas domiciliares que realizam.

Viviane informa que todos os esforços são necessários neste momento, já se precavendo para um período crítico, o verão. Ao mesmo tempo em que as estratégias de ações são definidas, um plano de contingência está pronto para ser colocado em prática, principalmente em caso de epidemia. "Temos que estar preparados principalmente em caso de circulação na nossa região dos vírus tipos 3 e 4", destacou, lembrando que o Ministério da Saúde assegurou ao município pantaneiro, um incentivo financeiro de 20% do valor anual do Piso Fixo de Vigilância e Promoção à Saúde (PFVPS) que é de R$ 589.408,21 (R$ 117.881,64), que será aplicado justamente no plano.

Envolvimento

A coordenadora, no entanto, voltou cobrar maior participação nas ações de combate à dengue. Citou a ausência de órgãos que integram o Comitê da Dengue e observou que é preciso engajamento total, inclusive das grandes empresas, clubes de serviços e outros segmentos da sociedade. "O problema é de todos, não somente da Saúde Pública. É preciso maior participação para evitar que Corumbá volte sofrer uma epidemia", alertou.