Servidor: Esporte, ponte para a educação e a qualidade de vida

Especial Servidor Público

"O propósito é a qualidade de vida das crianças, mas muitas delas começam a ter sucesso e logo estão representando o município nas competições"

Com apenas 1,55 metro de altura e 42 quilos aos 14 anos, a estudante Bruna Vilagra Ferreira precisa de muita agilidade para compensar a desvantagem em relação às outras competidoras e obter bons resultados nos campeonatos municipais e estaduais de natação. Há cerca de três anos, quando praticava a atividade por recreação em uma academia de Corumbá, ela conheceu o programa Geração Olímpica, após ter sido identificada pela professora como potencial atleta.

"Eu gostava de nadar, mas nunca tinha imaginado que um dia levaria o esporte a sério e passaria a competir. Então, depois de muito aprendizado e treino, hoje participo das principais competições de Mato Grosso do Sul", conta a nadadora, que já faturou medalhas nas modalidades 50 metros livre e 50 metros borboleta, além de ótimos resultados nos 100 e nos 200 metros livre em âmbito estadual.

Conforme o professor de educação física, Geraldo Garbelini Neto, técnico de natação da Fundação de Esportes de Corumbá (Funec), este é o objetivo do programa: favorecer o desenvolvimento de crianças e adolescentes por meio da prática esportiva e, quando possível, formar atletas e campeões. Para isso, ele treina os alunos no Centro Popular de Cultura, Esporte e Lazer Nação Guató, de onde sai a base da natação local e de outros esportes. "É um processo de aprendizado cujo propósito é a qualidade de vida das crianças, mas muitas delas começam a obter sucesso e logo estão representando o município nas competições", diz.

Ele observa que, ao mesmo tempo em que ensina um esporte, o Geração Olímpica estimula o aprendizado e o bom desempenho escolar dos alunos, por meio de um acompanhamento constante e da exigência de boas notas e da atenção total dos pais sobre eles. "E isso é facilitado pela prática esportiva, que favorece o desenvolvimento cognitivo, ou seja, a capacidade de processar informação na memória de longa duração, além da socialização, integração e responsabilidade. Tem ainda o aspecto social da iniciativa, ao ocupar e integrar as crianças, afastando-as da rua e da indisciplina", comenta.

"O Geração Olímpica me ajudou a encontrar o meu talento, que eu nem sabia que tinha. E agora nado com amor e entusiasmo", conta Bruna, que pretende se tornar profissional e ganhar a vida como nadadora. "É um trabalho árduo e que demanda muita paciência, mas é muito gratificante ver os alunos obtendo sucesso e representando sua escola, sua cidade. É muito estimulante formar atletas", completa Geraldo.

"O Geração Olímpica me ajudou a encontrar meu talento, que eu não sabia que tinha. E agora nado com amor e entusiasmo"

(Fatos narrados em dezembro de 2010)