Prefeitura prepara nova megaoperação contra a dengue na cidade

Com apoio do Exército Brasileiro e de outros parceiros, a Prefeitura de Corumbá já está preparando uma nova megaoperação de combate à dengue na cidade. O assunto foi tratado na manhã desta quarta-feira (09), durante reunião do Comitê da Dengue no auditório do Paço Municipal. Os trabalhos serão intensificados a partir dos próximos dias e a intenção é reforçar as ações durante este período, já se preparando para o verão, época propícia para proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. Só o Exército vai disponibilizar 20 soldados para auxiliar os agentes de endemias nos serviços de campo.

A informação é da coordenadora geral de Vigilância em Saúde da Prefeitura, médica veterinária Viviane Ametlla, que comandou a reunião mensal do Comitê de Combate à Dengue. O encontro contou com participação de representantes da Secretaria Municipal de Educação, Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário, Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Vigilância Sanitária, Escola de Governo e Coordenadoria de Vetores da Secretaria Estadual de Saúde.

"Vamos intensificar os trabalhos com esta megaoperação, envolvendo todos os setores da Prefeitura. O Exército já está disponibilizando 20 soldados e vamos definir agora com a Secretaria de Infraestrutura, uma outra equipe para atuar na limpeza de terrenos baldios que terá acompanhamento da Vigilância Sanitária", explicou a coordenadora ao mesmo tempo em que cobrou uma participação mais efetiva dos integrantes do Comitê da Dengue nas reuniões e também nas ações realizadas na cidade durante todo o ano.

"A participação efetiva é importante. O trabalho tem que ser integrado o ano todo, não só durante estes períodos que antecedem o verão, épocas de chuvas mais intensas", reforçou. Viviane, para esta reunião, convidou também a diretora da Escola de Governo, Antonieta Sabatel, com quem tratou de um programa específico junto aos agentes de endemia, de motivação.

Elogiou as pastas de Educação, Meio Ambiente e Turismo, pelo trabalho desenvolvido na cidade. "A Educação, com os agentes mirins; a Fundação de Meio Ambiente, com os garis comunitários, e o Turismo, que desenvolveu um trabalho conjunto na rede hoteleira, estão sendo importantes para as ações de prevenção e combate à dengue. Por isso é importante que todos os demais parceiros estejam integrados", acentuou.

Notificações

Na reunião, o coordenador municipal de Controle de Vetores, Luiz Donizethe Minzão, apresentou os últimos números da dengue na cidade. As notificações até a 43ª semana epidemiológica, em outubro de 2011, apresentou um total de 248, contra 1.187 registradas no mesmo período em 2010. O último Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti, realizado no final de outubro, apresentou infestação predial de 1,0% na cidade, contra 1,5% de 2010 e 2009.

Apesar da redução, mostrou preocupação principalmente com relação aos principais criadouros: depósitos de água localizados em nível de solo, que foi de 78,6% dessa incidência, seguidos de depósitos móveis (vasos e pratos, frascos com plantas, bebedouros de animais, etc.), com 14,3%, e lixo e outros resíduos sólidos (lixo), com 7,1%. Este último item preocupa, tanto é que Viviane já vai acionar a Secretaria de Infraestrutura para, junto com a Vigilância Sanitária, retomar os serviços de limpeza de terrenos baldios, eliminando os criadouros do mosquito.

Ao mesmo tempo, o CCZ intensificou as ações em regiões específicas da cidade para eliminar focos da dengue. São justamente os bairros que apontaram incidências altas no último LIRAa, que elevou o índice na cidade para 1,0%: Maria Leite, com 4,71; Cristo Redentor, com 2,84; Nova Corumbá, com 1,94, e Guató, com 1,41. "Os nossos índices estão acima do desejado", confessou Viviane demonstrando preocupação com a alta incidência em imóveis residenciais, responsáveis por 92,07% da infestação. "Precisamos reduzir. A população está resistente aos vírus 1 e 2, mas não aos dos tipos 3 e 4. Isto nos preocupa", revelou.