Demora na efetivação de adoções é uma preocupação de secretário

O secretário de Assistência Social e Cidadania, Haroldo Waltencyr Ribeiro Cavassa, levantou um grave problema em Corumbá, que está causando "inquietude": a demora na efetivação de adoções de crianças e adolescentes que se encontram nas casas de acolhimento mantidas pela Prefeitura. Disse que por mais que o Poder Público trabalhe, na tentativa de reinserção dos menores à sociedade, há casos de crianças com "três, cinco e até com oito anos aguardando adoção" e que é preciso buscar alternativas para, pelo menos, minimizar a situação.

A declaração foi feita durante a abertura da VIII Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente que acontece em Corumbá, preparatória para a etapa estadual. Haroldo observou que a Prefeitura tem realizado um trabalho no sentido de reinserir estes menores à sociedade, mas que a demora para efetivação das adoções, é um problema sério que precisa ser resolvido, para não prejudicar ainda mais o desenvolvimento da criança.

Uma das alternativas citadas pelo secretário, com apoio de todos os poderes, principalmente legislativo e judiciário, é desenvolver programas para dar condições a estes menores que se encontram nos abrigos, participar de cursos profissionalizantes, preparando-os para o mercado de trabalho, mas sem se esquecer do que eles mais querem, família. "O mínimo que eles precisam é de pai, mãe, afeto e carinho. Muitos já passaram do tempo para adoção", observou.

Haroldo reforçou a necessidade de procurar outras alternativas, como cursos profissionalizantes, para em seguida, lembrar que a Prefeitura disponibiliza o Centro de Qualificação para o Trabalho Dom Bosco, mas que é preciso seguir os trâmites legais para que eles possam freqüentar os cursos ministrados no local. "Precisamos acelerar e vislumbrar medidas, como oferta de capacitação profissional, preparando aqueles que estão com mais de 16 anos para o mercado de trabalho", acentuou.

O secretário cobrou uma participação mais efetiva da sociedade que, no seu entender, precisa ser mais parceira na solução de problemas enfrentados diariamente. Disse que a conferência está sendo importante para discutir as mais diferentes situações e que será um passo para o estabelecimento de um plano de atendimento à criança e ao adolescente.

A conferência é uma realização do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente em parceria com a Prefeitura. O presidente do CMDCA, Luciano Cruz Souza está comandando os trabalhos iniciados ontem, com a presença do presidente do Conselho Estadual Rodrigo Ostemberg.

A programação está tendo sequência hoje e cinco eixos temáticos estão sendo abordados: Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente; Proteção e Defesa dos Direitos; Protagonismo e Participação de Crianças e Adolescentes; Controle Social e Efetivação dos Direitos, e Gestão da Política Nacional dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes. Prossegue à tarde com escolha das propostas às 13 horas; eleição dos delegados para a Conferência Estadual às 15 horas, e encerramento às 17 horas.