Corumbá terá de investir recursos próprios para recuperar Cravo

Após aguardar por nove meses a liberação de verbas federais, o que não ocorreu até o momento, a Prefeitura de Corumbá terá de investir recursos próprios para recuperar o conjunto Cravo Vermelho, seriamente afetado pelas fortes chuvas que castigaram a cidade no início do ano. Em março, o Município recebeu a promessa do repasse de R$ 2 milhões do Governo Federal, por meio de emendas do senador Delcídio do Amaral (PT), para a realização de obras emergenciais na localidade, mas o dinheiro não veio, o que está obrigando a Prefeitura a buscar outra fonte para custear as obras necessárias para enfrentar as próximas chuvas, além das intervenções já realizadas.

Dessa forma, o Município ressalta que não é verdadeira a informação divulgada na sexta-feira (25) pela TV Morena nos telejornais Bom Dia MS (estadual) e MSTV 1ª Edição (local), em que afirma que Corumbá teria recebido o valor prometido. Em ambos os telejornais, a reportagem afirma: "Verbas federais foram solicitadas na época, e o município recebeu R$ 2 milhões para serem utilizados na restauração de galerias que foram danificadas pelo grande volume de água e na recuperação das ruas destruídas pela enxurrada". Assim, a reportagem expressa a ideia de que os recursos teriam chegado, mas a Prefeitura não os teria aplicado devidamente, o que não procede.

As mesmas matérias afirmam que Corumbá já teria recebido R$ 650 mil do Governo Federal para a elaboração de um plano de contenção de encostas nas áreas de risco. A reportagem diz o seguinte: "Para tentar reverter esta situação, em janeiro deste ano o município chegou a receber do governo federal R$ 650 mil para elaboração de um plano de contenção de encostas. Porém, quase um ano depois, o projeto ainda não foi concluído". Outra vez, a ideia contida na afirmação é de que a Prefeitura não teria aplicado corretamente recursos supostamente já recebidos, o que também não ocorreu, já que o valor citado ainda está para ser liberado pela Caixa Econômica Federal.

Histórico

Em março deste ano, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) anunciou que investiria R$ 2 milhões na recuperação do conjunto Cravo Vermelho, fortemente castigado pelas chuvas naquele período. Como explicou na época, o montante seria viabilizado por meio de emendas do senador Delcídio e liberado pelo Ministério das Cidades, para ser utilizado em obras de drenagem e pavimentação asfáltica. "A situação do conjunto Cravo, em especial, é bastante difícil por causa do elevado volume de chuvas que tivemos nos últimos dias, um índice muito superior à média registrada em Corumbá e que trouxe muitos transtornos para as pessoas que vivem nesta região", comentou, na época.

Naquele período, diversas equipes da Prefeitura passaram vários dias no local prestando atendimento social, médico e de infraestrutura aos moradores. "As pessoas ficaram praticamente ilhadas, as ruas sem condições de trafego. Isso nos fez trazer a ação Prefeito Presente para cá de imediato, com o preparo que foi possível agilizar", disse o prefeito. Passados nove meses, no entanto, sem que o dinheiro fosse liberado, e após inúmeras ações paliativas e emergenciais na região, ele decidiu que não pode mais esperar pelo Governo Federal e buscará uma forma que realizar as obras necessárias para que aquela população não sofra os mesmos transtornos em 2012.

Já com relação às áreas de risco, em agosto deste ano, a Caixa aprovou projetos de Corumbá, no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), sendo um de R$ 500 mil para elaboração do Plano de Regularização de Encostas, e outro de R$ 150 mil para o Plano Municipal para Redução de Riscos, beneficiando os bairros Beira Rio, Cervejaria, Generoso e Porto Geral. No entanto, somente no dia 10 deste mês, a instituição financeira autorizou oficialmente a Prefeitura a iniciar o processo licitatório para os trabalhos. A expectativa de Ruiter é que os serviços comecem em janeiro do próximo ano, quando então o Município receberá efetivamente os R$ 650 mil.