Compositor e interprete do RJ participa de evento sobre Carnaval

Eduardo Augusto Botelho, o Dudu Botelho, realiza nesta quinta-feira (17) a palestra "Pensando em Carnaval", às 14 horas, no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez. O evento faz parte da Semana da Consciência Negra de Corumbá, organizada pela Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais, por meio da Gerência de Igualdade Racial. Durante o encontro, serão debatidos diversos temas relacionados a maior festa populares do País, como formatação de desfile, composição de samba-enredo e outros assuntos.

Ainda nesta quinta-feira, a diretoria da Associação Corumbaense das Pessoas com Doenças Falciformes (Acodfal) será empossada na Casa da Cidadania. Na sexta-feira o cantor Simona será a principal atração da Noite da Seresta, na Praça da Independência. A Semana da Consciência Negra prossegue no sábado, com a final da Copa de Futebol João Benedito de Paulo – Matateu. A decisão começa às 18 horas no campo da Nova Corumbá.

No dia 20, feriado Municipal referente ao Dia da Consciência Negra, o Imnegra realiza panfletagem na rodovia Ramão Gómez. Às 11 horas, a Feijoada e Encontro Estadual de Compositores e Interpretes de Escolas de Samba será na quadra da Caprichosos de Corumbá, às 11 horas. Encerrando a Semana da Consciência Negra de Corumbá, o Concurso Estudantil Beleza Negra será realizado no ginásio do Corumbaense Futebol Clube a partir das 19 horas.

Dudu Botelho

Nascido em 20/01/1971, Dudu Botelho começou a frequentar sambas já em 1986, quando influenciado pelo enredo em homenagem a seu bairro (Tijuca), se tomou de amores pela Império da Tijuca e pelo Salgueiro, escolas que passou a frenquentar desde então. Dez anos mais tarde, em 1996, cantou pela primeira vez na Sapucaí, exatamente na Império da Tijuca, escola que voltaria a defender em 97, 98, 99, 2000 e 2001. Em 2002, 2003 e 2004 veio cantando na Estácio de Sá, formando uma dupla com Serginho do Porto.

Em 2005, enfrenta pela a primeira vez o desafio de cantar numa escola de samba como primeira voz e fora da Sapucaí, como intérprete da Acadêmicos do Sossego, no Grupo D, fechando o desfile na Estrada Intendente Magalhães. No mesmo ano, também ajudou, junto com Leonardo Bessa, o Arranco a voltar para o Grupo A, cantando na escola do Engenho de Dentro na terça-feira de carnaval na Sapucaí.

No Salgueiro, fez parte por muitos anos da equipe de Palco da Escola, animando o badalado ensaio de sua escola de coração. Tem também um trabalho como compositor, concorrendo todos os anos com sambas-enredos tanto no Salgueiro como na Império da Tijuca. É também compositor e intérprete de alguns blocos da cidade como "Nem Muda nem Sai de Cima", "Díscipulos de Oswaldo" e "Simpatia é Quase Amor". É o atual bicampeão no Salgueiro, autor dos sambas de 2007 e 2008 da escola.