Habilitados, ribeirinhos recebem carteiras no 14º Povo das Águas

Durante a 14ª edição do Programa Social Povo das Águas, que acontece entre os dias 17 e 21 de outubro na parte alta do Pantanal corumbaense, a Prefeitura de Corumbá estará entregando a Caderneta de Inscrição e Registro (CIR) aos ribeirinhos que participaram do Curso de Formação Aquaviária – Nível Especial (CFAq 3), em julho deste ano. O documento permite aos ribeirinhos conduzir embarcações com motor de popa em águas interiores (rios). Além disso, a CIR garante aos moradores das áreas afastadas do Pantanal a profissão de Marinheiro Fluvial de Convés, habilitação exigida para atuação nos barcos-hotéis que funcionam na cidade.

A capacitação, com carga horária de 40 horas/aula, foi realizada pela Capitania Fluvial do Pantanal, em parceria com na Prefeitura, durante a 11ª edição do Programa Social, entre os dias 18 e 22 de julho. A qualificação foi uma reivindicação dos moradores da localidade. "Todos aqui pilotam seus barcos não é de hoje. Mas quase ninguém tem a carteira fluvial. Isso acaba gerando uma insegurança muito grande", descreveu Ruivaldo Andrade, morador da região do Paiaguás.

"Para ir a Corumbá, muitos deixavam para sair durante a noite para fugir da fiscalização. Ai o perigo é maior ainda, porque dificulta muito a visão", contou o pantaneiro. A mesma viagem, que com os motores de menor potência, comum entre os pescadores, pode demorar até 12 horas para ser concluída, chega a custar R$ 70 em lanchas grandes. "E para quem não tem salário fixo, esse é um valor muito pesado", complementou Ruivaldo.

Dos 50 ribeirinhos que iniciaram o curso, 48 concluíram todas as atividades e foram aprovados no exame final. "Foi uma surpresa ver a perseverança com que essa gente corre atrás de seus ideais. Tivemos mulheres gestantes, outras amamentando, que vieram de longe e ficaram alojadas aqui só para não perder esta oportunidade. Foi bastante gratificante", definiu o sub-oficial Jorge Alexandre Silva de Oliveira, supervisor de ensino marítimo da Capitania Fluvial.

Para Antônio Caetano, morador do Porto Vida Nova, na boca da Baia Vermelha, a habilitação fluvial representa a realização de um sonho antigo. "Esse curso foi importante demais. Com certeza era o grande objetivo de todo mundo por aqui. A pratica de navegar pelo rio temos a muitos anos. Agora teremos a oportunidade de trabalhar sem medo da fiscalização", contou o ribeirinho, que por duas vezes já havia sido multado pela fiscalização.

Pai de 5 filhos, ele sustenta toda a família da pesca. Apesar das dificuldades provocadas pelo pouco estudo, conseguiu ser aprovado na prova final. "Tudo isso graças ao nosso instrutor, que foi nota 10, e ao prefeito Ruiter (Cunha de Oliveira -PT) que tem olhado e ajudado todo o povo pantaneiro", reforçou Antônio. A presença da Prefeitura na região ribeirinha também foi lembrada pela senhora Dalvina Moura de Arruda. "Eu não tinha nem registro. Consegui tirar depois que a Ação Prefeito Presente aconteceu aqui para cima", recordou. "Só depois que resolvi minha situação, conseguiu registrar minha filha e matriculá-la na escola", completou.

Há 30 anos morando no Porto Figueira, Ramão Elias de Oliveira Mendes, foi outro que conseguiu completar o curso. Além dele, a mulher e o filho mais velho também aproveitaram a chance de se regularizar junto a Capitania Fluvial do Pantanal. "Foi a primeira oportunidade deste tipo que tivemos na vida. Não dava para deixar escapar. Agora vamos poder navegar tranqüilos atrás do peixe deste pantanal de Deus", concluiu.

14ª edição

A 14ª edição do Programa Social Povo das Águas vai beneficiar os ribeirinhos do alto Pantanal a partir da próxima segunda-feira (17), quando serão atendidos os moradores das regiões do São Lourenço, Barra do São Lourenço, Amolar, Porto São Pedro, Paraguai Mirim, Castelo, Jatobazinho, São Domingos Ramos e do Tuiuiú. Os atendimentos médicos, sociais e assistenciais começam pelo Porto Maracangalha, a partir das 8 horas da segunda-feira. Durante a tarde, das 14h às 17 horas, a equipe da Prefeitura estará na casa do senhor Venino, no Castelo.

Na terça-feira (18), o atendimento acontece na Escola Municipal Rural Pólo Porto Esperança – Extensão Paraguai Mirim, das 8h às 13 horas. Na quarta, dia 19, o trabalho estará concentrado no Porto São Pedro, também das 8h às 13 horas. No dia seguinte, quinta-feira, a equipe estará no Porto Sete de Setembro, novamente durante o período matutino. Na sexta-feira (21) o atendimento acontece na Escola Municipal Rural Pólo Porto Esperança – Extensão São Lourenço, entre às 8 horas e às 13 horas.

O Programa Social Povo das Águas é coordenado pela Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais. As secretarias municipais de Saúde, Educação, Assistência e Cidadania e da Defesa Civil fazem parte da ação. O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), o Centro de Atenção Psicossocial – álcool e drogas (CAPS ad) e o Conselho Tutelar também integram o programa social.