Durante audiência, Junta enumera desafios a vencer no hospital

Construção e implantação de novos leitos e reforma estrutural no prédio que abriga a Santa Casa de Corumbá, estão entre os desafios enumerados pelo presidente da Junta Administrativa da Associação Beneficente Corumbaense, Daniel Martins Costa. Na noite da quarta-feira, ele comandou a audiência pública de prestação de conta das instituição e, após destacar os avanços, foi categórico ao afirmar que ainda "há muitos desafios pela frente" e conclamou a sociedade corumbaense a participar de forma mais ativa, para tornar o hospital, uma referência na região.

"Nosso quantitativo de leitos é insuficiente para demanda. Necessitamos construir e equipar novos espaços para atender os pacientes", disse, lembrando que a participação da sociedade é importante, contribuindo para estas novas conquistas. Como exemplo do que precisa ser feito, citou a implantação de um quarto modelo do SUS com três leitos, mobiliado, com ar condicionado, televisor, camas novas e banheiro com adaptação. Além disso, foi categórico ao dizer que o prédio necessita de uma reforma e novos equipamentos e mobiliários precisam ser comprados.

A reforma necessária foi explicada inclusive pelo diretor de Gestão Victor Salomão Paiva, administrador hospitalar. Por meio de imagens, ele mostrou ao público presente, os pontos que devem ser atacados, para dotar o prédio de condições necessárias para um bom atendimento à população pantaneira.

Dotar o hospital de equipamentos de acessibilidade também faz parte do planejamento da Junta Administrativa. Daniel informou que é necessário fazer adequações no prédio "para dar condições de acessibilidade aos portadores de necessidades especiais, inclusive os banheiros". Citou também a adequação de sala de estudos, "essencial para que possamos melhorar a qualidade dos nossos serviços", bem como de um local adequado para armazenamento de resíduos (lixo hospitalar).

Finanças

Com relação às finanças, o contador Mário Sérgio Aguiar apresentou relatórios de agosto e setembro, de recebimentos e pagamentos da Santa Casa. Agosto foi iniciado com saldo de R$ 41.015,21. Durante o mês, o recebimento foi de R$ 1.272.641,97, enquanto pagamento ficou em R$ 1.216.741,85, um saldo de R$ 96.915,33. Já setembro, foram R$ 1.133.635,32 em recebimentos e R$ 1.166.543,78 em pagamentos, saldo de R$ 64.006,87.

Recebimentos são referentes a contratualização, particular, convênios, pedágio da Prefeitura Municipal, alugueis, doações, e repasses por meio do Termo de Acordo Judicial (TAJ) – Prefeituras de Corumbá e de Ladário, e a Secretaria de Saúde do Estado. Já pagamentos são despesas com fornecedores, prestadores de serviços, impostos e contribuições, parcelamento de impostos, contribuições e multas, acordos trabalhistas, parcelamento FGTS de administrações anteriores, férias, folha, médicos, rescisões contratuais, bloqueio judicial, entre outros.

A audiência foi dirigida pelo presidente da Junta Administrativa Daniel Martins Costa. Participaram o médico Lauther da Silva Serra, membro e Secretário Municipal de Saúde; advogado Marcelo Ribeiro Dantas, Procurador Geral do Município; médico Eduardo Lasmar Pacheco, da Diretoria Técnica, representando o diretor técnico Manoel João da Costa Oliveira; Marco Antonio Duarte Cazzolato, diretor clínico; Vitor Pasiva, diretor de Gestão e administrador; secretário de saúde de Ladário, Cleber Coleone; Mário Sergio Aguiar, contador; Aurélio Mansilha Torres, do SindSaude; Oswalmir Nunes (Baguá), vereador de Ladário; Divino Lourenço da Silva, vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde; Cássio Augusto da Costa Marques, secretário de Gestão Governamental; Maria Antonieta Sabatel, diretora presidente da Escola de Governo, além de outras autoridades.