Drama do passado: temporal não afeta famílias de novo conjunto

Uma noite de sono tranquilo. Foi assim que Núbia Ribeiro de Arruda, 22 anos, definiu o último sábado (01), quando um temporal com ventos de quase 100 quilômetros por hora atingiu Corumbá, causando inúmeros problemas em praticamente toda a cidade. Os estragos ainda estavam sendo contabilizados na manhã desta segunda-feira (03) pela Defesa Civil, mas, no novo conjunto habitacional construído na zona sul, no Bairro Guató, a apreensão dos moradores durou pouco. "Quando começou a ventar e chover, entramos em casa, fechamos a porta, e dormimos tranquilos. Graças a Deus, não tivemos problemas", comentou.

Núbia Ribeiro está residindo no novo conjunto desde o início do ano. Ela faz parte de uma das 274 famílias reassentadas no PAC – Casa Nova. São pessoas que, até então, residiam em áreas de riscos, em condições sub-humanas. "Morava no Cravo Vermelho III. Se ainda estivesse lá, certamente teria enfrentando muitos problemas, com casa destelhada, ruas sem condições de andar. Aqui foi tranquilo. Não tivemos problemas. Choveu, ventou e não sentimos nada. Dormimos sem preocupação. Aqui, mudou bastante, para melhor", comemorou.

Sua vizinha, Jorgina Nunes, 56 anos, também disse ter passado uma noite tranquila. "Deu medo no início, mas não aconteceu nada", revelou, lembrando os constantes dramas da época em que residia no Cravo Vermelho III. "Se fosse lá, ia ter casa destelhada, água inundando tudo. Aqui, graças a Deus, foi tudo tranquilo, é um lugar mais seguro que lá", resumiu.

Conclusão

E é esta mesma segurança que o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) pretende dar às demais 526 famílias que serão reassentadas no PAC – Casa Nova. No último sábado, o chefe do executivo corumbaense ficou mais preocupado ainda com a conclusão dos serviços no novo conjunto, que já está recebendo os últimos metros de pavimento asfáltico. As últimas unidades habitacionais estão também em fase de conclusão, mas 90% já estão prontas para serem habitadas, dependendo apenas da implantação de redes de água e esgoto sanitário.

"Estamos sem possibilidade de reassentar novas famílias no PAC – Casa Nova justamente por falta de água e esgoto", afirmou o prefeito, preocupado com as famílias residentes em áreas de riscos e que, no temporal do último sábado, enfrentaram inúmeros problemas. Todas estas pessoas que serão reassentadas no conjunto, já estão cadastradas junto à Prefeitura e Caixa Econômica Federal e aguardam somente esgoto e água, para serem reassentadas pelo Município.

E não são somente as casas do PAC – Casa Nova que estão concluídas, prontas para serem habitadas. O secretário de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, lembra que outros empreendimentos já estão prontos, aguardando somente redes de água e esgoto para atender famílias consideradas de baixa renda. É o caso do Promoradia, no Bairro Dom Bosco. "Tão logo a Sanesul execute os serviços, as casas já estarão em condições de serem habitadas", salientou.