Deputado diz que obra foi essencial para acabar com isolamento

Um dos responsáveis direto pela construção da maior obra de engenharia urbana de Corumbá, viaduto da Rua 13 de Junho, o deputado Paulo Duarte (PT) classificou a nova estrutura como essencial para por fim ao isolamento de uma região, no centro da cidade, separada pelo até então conhecido como ‘buracão da 13'. Paulo participou da solenidade de inauguração e afirmou que, além de melhorar o sistema viário, vai permitir também a união de pessoas que, até então, viviam separadas pelo enorme vão, cujo único acesso era uma escadaria com 220 degraus.

"É uma das maiores obras de Corumbá que liga o centro da cidade aos bairros existentes nesta região", disse, se referindo ao Arthur Marinho, Cervejaria, Dom Bosco, Generoso, entre outros. Comentou que o empreendimento garante maior fluidez ao tráfego de veículos, desafogando a Rua Dom Aquino, mas também "une pessoas que moram dos dois lados do ‘buracão da 13' que me traz muitas recordações da infância", disse, já emocionado.

Ele lembrou-se dos amigos, de Antônio Paulo Saab (nome sugerido pelo prefeito Ruiter Cunha para o viaduto), das partidas de futebol que disputavam no local. "Se não fosse este viaduto, a região continuaria isolada. Proporcionamos a união das pessoas", prosseguiu para lembrar as palavras do pastor Francisco Antônio Vicente Farias, morador ao lado do novo viaduto há mais de 70 anos, que lembrou um trecho bíblico ‘E o Verbo se fez Carne e habitou entre nós.(Jo 1:14)', se referindo que o verbo era o "blá, blá, blá de antigamente" e que hoje, o "blá, blá, blá se transformou em carne", o viaduto.

"O senhor Francisco foi muito feliz. Era muito blá, blá, blá. Era preciso sair disso, trabalhar. E a única coisa que não resiste a nada é a fé em Deus", observou, para lembrar que o trabalho foi intenso a partir da projeção do viaduto. "Sabíamos que seria difícil a Prefeitura fazer sozinha. Fomos muito a Brasília, eu e o Ruiter. Tivemos um grande parceiro, o ministro Paulo Bernardo. Ele colocou a caneta e a obra está aí, executada. Só trabalhando de forma unida para conseguir as coisas. O que fiz é uma pequena retribuição pelo carinho que recebo da minha terra", disse, emocionado.

Quem também enalteceu a obra foi o prefeito de Ladário José Antônio Assad e Faria. Disse ser "uma grande conquista que traz benefícios a toda população. O viaduto representa um futuro brilhante para todos aqui". O presidente da Câmara de Vereadores, Evander Vendramini (PP) reforçou o coro. Lembrou os 20 anos em que residiu na região e que esta era uma das principais reivindicações da comunidade. "Sabia a falta que este viaduto fazia", reforçou, lembrando a escadinha de 220 degraus, o único acesso que os moradores tinham para se locomover até o centro, caso não desejassem dar a volta pela Rua Dom Aquino.

Para Evander, o viaduto representa a redenção da malha viária e que representa melhoria na "qualidade de vida das pessoas que residem na região" e que sabe da "satisfação da comunidade em receber o benefício". Aproveitou para fazer um pedido a Ruiter, atendendo reivindicação de um morador da localidade, a ligação da Dom Aquino à 13 de Junho, pela Luiz Feitosa.

O ato foi prestigiado por um grande número de autoridades, além de moradores da região e de outros bairros da cidade. Além de secretários municipais, assessores do prefeito e vereadores, prestigiaram também o ato o vice-prefeito Ricardo Eboli (PMDB), que também foi amigo de infância de Antônio Paulo Saab; os comandantes da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, general de brigada Carlos dos Santos Sardinha, e do 6º Distrito Naval da Marinha do Brasil, contra-almirante Márcio Ferreira de Melo; juiz Roberto Ferreira Filho, entre muitos outros.