Corumbá e Poconé se unem para viabilizar Estrada Transpantaneira

Aproveitar os investimentos para a Copa do Mundo de 2014 e viabilizar a integração física dos municípios de Corumbá e Poconé, no Mato Grosso. Este foi o tom do encontro entre os prefeitos Ruiter Cunha de Oliveira (PT) e Tico de Arlindo (DEM), na manhã desta terça-feira, em que discutiram a busca de apoio político ao propósito de ligar as duas cidades por meio da Rodovia Transpantaneira, estrada que, quando terminada, atravessaria a maior planície alagável do planeta, com mais de 400 quilômetros de extensão e que alavancaria substancialmente o turismo e o desenvolvimento econômico dessas regiões dos dois estados.

Juntamente com uma comitiva de vereadores, Tico veio a Corumbá buscar a parceria do colega e sua equipe de governo para levar o pleito às principais autoridades políticas dos estados, incluindo os governadores, senadores e deputados federais. A proposta das lideranças daquele município é buscar a federalização da estrada, o que garantiria os recursos federais necessários para a construção do trecho que falta até Corumbá, estimado em mais de 250 quilômetros, sendo que o trecho no estado vizinho já existe até as margens do Rio Cuiabá. Com isso, o entendimento deles é que a obra poderia entrar no contexto da Copa de 2014, tornando-se uma prioridade.

Este também é o entendimento do prefeito Ruiter, que determinou a sua equipe o início dos estudos do possível trajeto e a elaboração de um termo de cooperação entre os dois municípios para dar origem ao movimento político que viabilize o empreendimento. "Para Corumbá e para o Estado, essa discussão ainda é uma novidade e está muito insipiente, enquanto que na parte mato-grossense já é uma realidade. Por isso, precisamos nos mobilizar para buscar este investimento de extrema importância para as duas cidades e para todo o Pantanal brasileiro, cujo impacto positivo no desenvolvimento regional e no turismo seria incalculável", afirmou.

De acordo com o prefeito Tico, a viabilização da ligação com Corumbá seria vital para integrar Poconé com outras cidades e regiões, como Coxim, por exemplo, já que sua única ligação por terra atualmente é com Cuiabá. O projeto original da Transpantaneira, elaborado no início da década de 1970, previa um trajeto de 397 quilômetros, o que certamente seria ampliado devido ao alagamento causado pelo açoreamento do Rio Taquari, que seria cortado pela estrada. Na opinião de técnicos daquele município, o trajeto mais apropriado seria margeando o Rio Piquiri, cuja região é mais alta e demandaria menos aterro e pontes de madeira.

No entendimento dos prefeitos, como se trata de uma estrada de terra, não teria impacto ambiental e interferência na fauna e na flora pantaneiras, a exemplo da Estrada Parque Pantanal. A próxima reunião deve ocorrer no início de outubro, para avançar na elaboração da proposta a ser levada às autoridades políticas. Também participaram do encontro o secretário municipal de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques; o subsecretário de Relações Institucionais, Lamartine de Figueiredo Costa; os superintendentes de Turismo, Rodolfo Assef, e de Produção Agropecuária, Pedro Paulo Barros; e o prefeito de Ladário, José Antônio de Assad e Faria.