Reunião debate projeto de reordenamento de feira em Corumbá

Reunião realizada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, Habitação e
Serviços Urbanos, discutiu com os feirantes, na tarde desta quinta-feira (04),
o novo reordenamento da feira livre de domingo, realizada na Rua Ladário,
centro de Corumbá. Representantes da Seinfra, da Guarda Municipal, Fundação de
Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário e Vigilância Sanitária esclareceram o
projeto que prevê mudanças no funcionamento das feiras realizadas no município
com a previsão de padronizações e maior rigor sobre os aspectos de estrutura,
organização, higiene e segurança.

Na primeira etapa do projeto de reordenamento, equipes da Prefeitura
Municipal realizaram o levantamento da quantidade de feirantes cadastrados em Corumbá. Ao todo 367
comerciantes atuam em uma das oito feiras localizadas nos bairros Cristo
Redentor, Popular Nova, Dom Bosco, Universitário, Centro (Porto Carreiro,
esquina com a XV de Novembro), Nova Corumbá, Centro América e Centro (rua
Ladário). A intenção do Município é padronizar as feiras e levar maior conforto
aos munícipes que compram produtos nestes locais. "Realizamos o cadastro para
saber quantos feirantes são e quem são. Não temos como começar um projeto sem
saber essas informações básicas", explicou o superintendente de Serviços
Urbanos, Gerson da Costa Melo.

Entre as propostas previstas no projeto, e que foram repassadas aos
feirantes na quinta-feira, está a demarcação dos espaços destinados a cada
feirante; o alinhamento das barracas; valorização e incentivo aos comerciantes;
a facilitação do trabalho dos fiscais; e melhorias no espaço destinado a
circulação dos consumidores. Serão fixados horários para instalação das
barracas e montagem dos expositores, comercialização, desmonte e liberação da
rua ao trânsito de veículos, de acordo com o que prevê o decreto nº 307/2007,
que regulamenta a organização e funcionamento das feiras em Corumbá.

A Prefeitura vai propor ainda a formalização de uma associação dos
feirantes; a numeração das barracas para facilitar a identificação por parte do
consumidor; a criação de um regulamento da feira; e o acondicionamento correto
do lixo durante o trabalho. Os feirantes também terão espaço para apresentar
suas reivindicações e propostas para qualificar o atendimento na feira livre de
domingo. "Estamos trabalhando de acordo com o que está previsto no decreto
(nº307/2007) e também com as necessidades dos munícipes", complementou Gerson.