Prefeitura define detalhes com a ALL para implantação da galeria

A Prefeitura de Corumbá está definindo os últimos detalhes com a América Latina Logística (ALL) para execução do trecho final da galeria tronco da Rua Geraldino Martins de Barros, antiga Oriental, no Bairro Centro América. A obra terá que transpor os dois ramais da rede ferroviária, um que liga à cidade de Ladário, passando pela fábrica de cimento Itaú, e o outro a Campo Grande, operados pela empresa. Na próxima semana, representantes da Prefeitura vão a Curitiba, sede da ALL, para oficializar a intervenção, inclusive com o estabelecimento de um cronograma de execução deste último trecho.

Na manhã desta quarta-feira (10), o assunto foi tratado no Ministério Público Federal, quando ficou praticamente oficializada a forma de atuação para execução da obra sob os trilhos da rede ferroviária. A subsecretária de Obras, engenheira Tânia Dantas, informou que restam detalhes finais para a Prefeitura retomar a obra, paralisada às margens dos trilhos. "Estamos indo a Curitiba para definir estes detalhes e reiniciar os serviços logo em seguida", disse. Ela estará acompanhada do secretário de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbano, engenheiro Ricardo Ametlla.

A reunião desta manhã no Ministério Público Federal teve a participação de representantes da ALL. O interesse do MPF é justamente acelerar o processo para evitar transtornos à população como o ocorrido nos primeiros meses do ano. Na época, com as chuvas torrenciais, a região do Bairro Centro América ficou completamente alagado, causando problemas inclusive em bairros próximos, o que poderia ter sido minimizado com a galeria em pleno funcionamento.

"Estamos buscando uma alternativa viável para concluir a obra e evitar aquilo que aconteceu no início do ano. A obra foi paralisada justamente no trecho da rede ferroviária e isto causou uma série de transtorno. O importante é que estamos acertando os detalhes, para que possamos concluir esta galeria e evitar problemas futuros", disse Amtella.

Ele explicou que a Prefeitura e a ALL já discutiram uma forma de realizar a obra "de maneira que o tráfego na linha férrea não seja interrompido durante a execução dos serviços". Isto, conforme Ametlla, será possível com a utilização de uma ponte móvel de 6,5 metros, pré-moldada, que será instalada no local. O secretário adiantou que consultores técnicos especializados vão acompanhar o trabalho, "que é de alta complexidade".

O assunto já havia sido tratado no final da tarde de terça-feira (09), em uma reunião no próprio local, entre a engenheira Tânia Dantas; representantes da ALL, Maurício Pinheiro (Relações Corporativa), Ana Cláudia Marçal (advogada), João Alfredo Rorato (especialista em vias permenentes) e Humberto Manfredini (gerente de operações no MS). O encontro teve participação também do engenheiro Almir Figueiredo, da Equipe Engenharia, empresa executora da obra. Ficou estabelecido ainda que, com a construção da ponte móvel, o módulo será utilizado na execução de outra galeria tronco que a Prefeitura implanta na cidade, ultrapassando a rede ferroviária na Rua José Fragelli, no Bairro Aeroporto.

A obra

Concluída, a galeria terá 1,3 mil metros de extensão. Foi iniciada pela Rua Tenente Melquíades, no centro da cidade, passando pela Colombo e Geraldino Martins de Barros. Hoje, restam somente 70 metros, a parte sob a rede ferroviária para ser interligada à galeria do Bairro da Popular Velha que, por sua vez, captará toda a água da região do Cristo Redentor. Será interligada à galeria existente na Rua Tenente Melquíades de Jesus, centro da cidade, ao lado da Escola Tenir, que deságua no Rio Paraguai.

No local estão sendo investidos R$ 5,1 milhões, recursos oriundos do Governo Federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com contrapartida do Município. A obra é de extrema importância para acabar com a sobrecarga da galeria existente na Rua Antônio João e de outras regiões da cidade, como os bairros Centro América, Maria Leite e Previsul. A galeria tem diâmetros de 2,5 m por 2 metros.

A implantação de galerias e redes de drenagem é uma aposta do prefeito Ruiter para solucionar definitivamente o problema de inundações. A Prefeitura também está implantando outra galeria no bairro Aeroporto, que vai beneficiar a Popular Nova. Outra prevista é na Rua Luís Feitosa, passando pela Duque de Caxias até a Joaquim Wenceslau de Barros. Toda a água captada será conduzida por meio de um canal, à beira do trilho, e interligado à do Aeroporto Internacional, que também receberá toda a água da galeria do Aeroporto.