Integrantes de programa social recebem orientações jurídicas

O final de tarde desta quinta-feira (25) foi diferente para a comunidade do Bairro Cristo Redentor que participa do programa "Se Essa Rua Fosse Minha". Dentro das atividades desenvolvidas pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais, as integrantes da ação participaram de uma roda de conversa com a participação especial do defensor público Igor César de Manzano Linjard. Num bate papo informal, ele repassou inúmeras orientações jurídicas, tirou dúvidas e buscou encaminhar algumas questões judiciais que podem ser tratadas pela própria Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul.

O defensor, que hoje atua na área de Execução Penal, foi apresentado às integrantes do "Se Essa Rua Fosse Minha" pela professora Eulina de Medeiros Vieira, responsável pelo acompanhamento do programa na Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais. "Quando elas (as calceteiras) levantaram estas questões, pensamos imediatamente no dr. Igor. Fizemos o convite e ele aceitou de pronto. Hoje está aqui, para tirar algumas dúvidas e orientar a comunidade. Elas querem conhecer um pouco mais e isto é importante para que exerçam a cidadania de fato", observou.

O defensor público conversou demoradamente com as integrantes do projeto. A primeira dúvida surgida foi de dona Maurina Santos de Matos, que gostaria de saber os procedimentos para doar uma área (terreno) a pessoas de sua família. Foi orientada e se mostrou satisfeita. Para Igor César, este tipo de ação disponibilizada pela Prefeitura, é importante. Ele próprio é um defensor da realização de um trabalho mais próximo da comunidade. "É fundamental e ajuda na inclusão social", disse, lembrando que o papel do Defensor Público é levar conhecimentos às comunidades que encontram dificuldades de acesso aos serviços prestados pela instituição, pelo fato de residirem longe do centro da cidade.

"A gente sai da sala e vem ao encontro dos moradores. Isto é importante. Temos que ir aos bairros, conhecer a realidade dessas pessoas, ouvir, passar informações importantes", reforçou, antes de ouvir outras dúvidas das moradores, casos como pensão alimentícia e outros assuntos jurídicos que, até então, as integrantes do programa não tinham acesso.

Ação intensa

Esta ação desenvolvida pela Prefeitura acontece de forma paralela à pavimentação de alamedas dos bairros Cristo Redentor e Guató. Além das rodas de conversa, estão acontecendo também oficinas de capacitação profissional, acesso à produção e geração de renda. Além do Cristo, a comunidade do Guató foi atendida na quinta, com uma oficina de fuxico. As capacitações e orientações fazem parte de um amplo cronograma estabelecido pela Prefeitura que, além de proporcionar a urbanização das ruas e alamedas da cidade, está também permitindo o resgate da autoestima das comunidades atendidas. As ações contam com apoio de um grande número de parceiros como a Defensoria Pública, Universidade Federal (cursos de Pedagogia, Ciências Biológicas, Educação Física e Psicologia); INSS; Faculdade Salesiana de Santa Teresa; artesãos corumbaenses; Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), além de outras pastas da própria administração municipal.

As atividades foram iniciadas no dia 19 de julho e vão até o dia 22 de outubro, com eventos às terças, quintas e sábados. Atividades culturais e de lazer também integram a programação, sempre aos sábados, envolvendo toda a comunidade beneficiada. Os calceteiros que participam dos cursos e rodas de conversa em suas comunidades, estão sendo responsáveis pela urbanização com assentamento das lajotas sextavadas nas alamedas Aguapé e Vitória Régia, no Bairro Guató, e Alameda Simon Bolívar, no Cristo Redentor.