Independência da Bolívia é comemorada com festa em Corumbá

Danças típicas e homenagens marcaram as comemorações dos 186 anos dos 186 anos de independência da Bolívia na manhã desse sábado, 6, na Praça da Independência, em Corumbá. A solenidade foi organizada pelo Consulado Boliviano de Corumbá, com apoio da Prefeitura Municipal. Autoridades civis, militares e religiosas foram prestigiar a data, entre eles, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) que juntamente com o cônsul da Bolívia no Brasil, Juan Carlos Merida Romero, que realizaram a entrega de um arranjo de flores à estátua de Antônio Maria Coelho.

Durante seu discurso, Ruiter destacou o sentimento fraterno que existe entre brasileiros e bolivianos. "Somos irmãos, filhos de países independentes, e a liberdade que herdamos desperta em nós hoje novos sonhos. Queremos liberdade com a alegria da boa instrução, da atenção à saúde, da redução das desigualdades sociais, da solidariedade entre as pessoas. Não porque a geografia nos aproxima, mas porque realmente experimentamos a convivência diária, misturamos nossa cultura, nossos filhos estudam juntos, compartilhamos de serviços públicos, os governos dialogam na divergência", disse.

O evento marcou também homenagens a 20 personalidades civis e militares que contribuíram para a integração dos dois lados da fronteira. Em seguida, houve a apresentação com a música "Viva Mi Patria, Bolívia", e também do balé folclórico da cidade de Puerto Suárez, o grupo cultural 16 de Agosto, com a Morenada e da Fraternidad da Universidad Mayor de San Simon, de Cochabamba, com estilo denominado o Tinku. Os festejos da manhã foram encerrados no Instituto Luis de Albuquerque, onde a data será brindada com o Vino de Honor (Vinho de Honra).

A programação festiva encerrou à tarde, com a missa em homenagem a Virgem de Copacabana, santa padroeira da Bolívia. Esta foi a décima edição do "En Honor a la Virgen de Copacabana", iniciada em 2002 pelo casal Antonia Gonzalez e Ruben Escobar Choque. Após a missa na Catedral, os participantes sairam em caravanas folclóricas com os grupos de dançarinos e os carros ornamentados em direção a fronteira, onde desfilarão novamente até o salão de festas, na segunda entrada da feira, em Arroyo Concépcion.