Fórum vai debater cotidiano dos povos tradicionais do Pantanal

O modo de vida, cultura e desafios dos povos ribeirinhos, quilombolas, extrativistas e indígenas do pantanal serão os temas do "I Fórum – Povos Tradicionais do Pantanal de Mato Grosso do Sul – Os saberes tradicionais e a conservação do Pantanal". O evento é uma organização da Prefeitura de Corumbá, Embrapa Pantanal, Universidade Salesiana Santa Tereza e Ministério Público Federal e será realizado nos dias 25 e 26 de outubro. As inscrições para participar do encontro estão abertas até o dia 18 de outubro.

A realização do evento foi amplamente debatida na tarde dessa terça-feira (23) em reunião na secretaria municipal de Educação com representantes das instituições que participam da organização. O intuito foi levantar as principais questões que devem ser abordadas durante o evento. O fórum pretende garantir que a população de Corumbá e região tenha a consciência da necessidade de uma auto-organização das comunidades pantaneiras para que possam discutir e superar problemas que ocorrem nestas localidades. O resultado seria a aplicação de políticas públicas voltadas exatamente para os anseios destes povos sem deixar de lado as questões ambientais do meio onde eles vivem.

"É importante procurar garantir aos povos tradicionais, os que vivem na planície pantaneira, os direitos básicos a educação, saúde, a fixação do homem a terra, buscando a melhoria de qualidade de vida e sobrevivência", comentou o secretário de Educação, Hélio de Lima. Ao elencar a atuação do Poder Público Municipal, Hélio ressaltou a importância dada pela administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) aos povos ribeirinhos com políticas públicas de acesso à educação, por meio das Escolas das Águas e suas extensões, e também pelo programa social Povo das Águas, que leva atendimento médico, odontológico, social e educacional para diferentes regiões do Pantanal.

Pesquisas realizadas nas comunidades de São Lourenço e Porto da Manga mostraram a necessidade de a sociedade se reunir e debater o meio em que vivem essas populações tão tradicionais. "Por conta desse trabalho feito com essas comunidades, foi visto que eles ainda enfrentam alguns problemas e o Ministério Público Federal então encampou essa idéia. Durante o evento, serão realizadas várias palestras sobre os diferentes ângulos das comunidades tradicionais", disse Sandra Mara Araújo Crispim, pesquisadora e supervisora do setor de Gestão e Transferência de Tecnologia da Embrapa Pantanal.

O Ministério Público Federal irá realizar entre os dias 24 e 26 de agosto uma visita às populações tradicionais de Corumbá. Serão visitadas as comunidades situadas entre a cidade e a Aldeia Uberada, onde vivem os índios guatós. Entre uma das ações será convidar oficialmente as comunidades para participar do Fórum. "A idéia do evento é organizar essas comunidades para permitir que elas se interajam e  integrem e lutem pelos seus direitos, pela preservação do Pantanal que é o meio ambiente, fonte de vida e de cultura. O papel do MPF nessa questão é auxiliar essas comunidades a se organizarem para que lutem pelos seus direitos, pelo Pantanal e preservação dos seus conhecimentos", comentou o procurador da República, Wilson Rocha Assis.

Mais informações sobre local, horário e a programação do "I Fórum – Povos Tradicionais do Pantanal de Mato Grosso do Sul – Os saberes tradicionais e a conservação do Pantanal" estão disponíveis no site do evento. O endereço eletrônico é: www.cpap.embrapa.br/forum.