Em Corumbá, encontro debate programas Acelera Brasil e Se Liga

Coordenadores
dos programas educacionais "Acelera Brasil" e "Se Liga" de cinco municípios de
Mato Grosso do Sul estarão reunidos durante toda esta quinta-feira (25) em Corumbá
onde participam do I Encontro dos Coordenadores Municipais. O objetivo é
debater dificuldades, avanços e expectativas das duas políticas públicas
implantadas pelo Instituto Ayrton Senna em parceria com o Ministério da
Educação. Os profissionais aproveitam a oportunidade para trocar experiências e fazer um
balanço dos programas em suas regiões.

Participam
do evento, os coordenadores de Corumbá, Ladário, Rochedo, Nioaque e Guia Lopes da Laguna.
Além desses, Baitaporã e Anastácio também trabalham com os dois programas que
visam alfabetizar alunos em defasagem, de maneira que possam avançar em sua escolaridade no mesmo nível de
aprendizagem dos demais colegas de classe. "Esse encontro pretende verificar como
está o andamento dos dois programas, para que atinjam as metas previstas e,
principalmente, haja uma melhora no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação
Básica) de Mato Grosso do Sul", comentou Maria Edna Rodrigues Barros, agente técnica
do Instituto Ayrton Senna.

As metas, de acordo com Maria Edna, prevêem
que os alunos participantes precisam cumprir os dias letivos,
ler de 30 a
40 livros por ano e fazer os exercícios de casa, as chamadas tarefas. Ao todo,
devem ser cumpridas 800 horas aulas. "Em Corumbá temos 300 alunos inseridos em
um dos dois programas. Temos professores preparados, com todo o material didático
e espaços necessários para a aplicação dos conteúdos", disse o coordenador municipal
do Se Liga e Acelera da Secretaria de Educação de Corumbá, Fernando Silva Cruz.

O Acelera Brasil é um programa
emergencial, de correção de fluxo do Ensino Fundamental. Ele combate a repetência
que gera a distorção entre a idade e a série que o aluno frequenta e, também, o
abandono escolar contribuindo para que o aluno, em um ano, alcance o nível de
conhecimento esperado para a primeira fase do Ensino Fundamental, de maneira
que possa avançar em sua escolaridade. Alunos chegam a  realizar duas
séries em um ano letivo, de acordo com seu aproveitamento, já que não se trata
de promoção automática.

O Se
Liga busca corrigir o fluxo
escolar do Ensino Fundamental porque combate o analfabetismo nas primeiras
séries, além de contribuir para a diminuição da evasão escolar. Em um ano,
alfabetiza crianças que repetem, porque não sabem ler nem escrever, para que
possam frequentar o Acelera Brasil e, depois, retornar à rede regular. Os
alunos que repetem um ou mais anos são avaliados para checar seu nível de
leitura e escrita. Caso não alcancem o desempenho desejado, entram no Se Liga.
Em salas de, no máximo, 25 alunos, um professor da rede de ensino, devidamente
capacitado, aplica a metodologia do Programa que, além da ênfase dada à
leitura, oferece às crianças materiais específicos que facilitam e qualificam o
aprendizado.