Devido à Alameda Tamengo, Prefeitura embarga obras do Sanesul

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) determinou o embargo imediato de todas as obras de ampliação do sistema de abastecimento de água e esgotamento sanitário da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul) em Corumbá, enquanto a empresa não recuperar os estragos causados pelos serviços executados na Alameda Tamengo, no bairro Cervejaria. O chefe do executivo corumbaense considerou a situação deixada pela concessionária uma afronta aos moradores daquela via que, duas semanas atrás, chegaram a interditá-la por três dias e, mesmo assim, o trecho continua intransitável.

A decisão foi tomada no final da manhã desta terça-feira (16), quando o prefeito visitou o local e encontrou a alameda em situação extremamente precária. Imediatamente, ele comunicou o secretário de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, Ricardo Campos Ametlla, para embargar todas as obras que a Sanesul está executando na cidade, até que a Tamengo seja recuperada, devolvendo a tranquilidade aos moradores. Conforme o secretário, o termo de embargo será encaminhado à empresa no começo da tarde desta terça-feira, ao mesmo tempo em que os agentes da Agência Municipal e Trânsito e Transporte (Agetrat) começarão a interdição física das obras.

A alameda está em condições precárias de tráfego desde que foram executadas as obras de esgotamento sanitário no local, no início deste ano. Em seguida, a Sanesul realizou serviços na rede de distribuição de água, inclusive com novas ligações domiciliares, muitas delas de forma irregular, com a mangueira passando por cima dos muros para chegar às residências, partindo do hidrômetro instalado do lado de fora dos terrenos.

No início da semana passada, após a interdição, a recuperação chegou ser iniciada. No entanto, na manhã de hoje, ao visitar o local, Ruiter encontrou a alameda nas condições que perduram já há vários meses, dificultando não só o tráfego de veículos, mas também de pedestres. Até para sair de suas residências, os moradores encontram dificuldades, já que as lajotas sextavadas removidas para as obras de esgoto e de água foram deixadas nas laterais da via e sobre as calçadas.