Corumbá ganha espaço para atender moradores de rua e migrantes

No mês em que comemora 233 anos de fundação, Corumbá vai ganhar um espaço adequado para atender migrantes e pessoas em situação de rua. A obra está sendo executada pela Prefeitura Municipal e integra um projeto da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, para dar condições dignas às pessoas que chegam de outras regiões, ou mesmo aqueles que são conhecidos como moradores de rua, enquanto uma equipe inicia a busca por familiares, visando a reaproximação, contribuindo para que retornem aos lares.

Isto será possível a partir da conclusão da reforma e ampliação do Albergue da Fraternidade José Lins. Os serviços fazem parte de um pacote de obras lançado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) no valor de R$ 3.671.980,93 para atender instituições assistenciais na cidade, recursos próprios, oriundos do Fundo Municipal de Investimento Social (FMIS). No local, a Secretaria de Assistência Social e Cidadania, por orientação do chefe do executivo corumbaense, vai implantar um grande projeto social para atender esta clientela.

Segundo o secretário de Assistência Social e Cidadania, Haroldo Ribeiro Cavassa, a equipe que vai trabalhar no novo albergue, será responsável inclusive pela viabilização de documentos dos migrantes e moradores de rua, caso não possuam, além de serem encaminhados a cursos profissionalizantes, visando inserção no mercado de trabalho, enquanto aguardam a reinserção familiar.

O novo albergue deverá ser inaugurado nas comemorações dos 233 anos de fundação de Corumbá. No local estão sendo investidos R$ 221.281,15, e o projeto prevê implementação de uma horta caseira, para manter a clientela em atividade durante o período em que estiver no local. A reforma atinge toda a estrutura do prédio de 293 metros quadrados que, após a intervenção, passará contar com 340,73 metros quadrados.

O espaço está ganhando dois dormitórios de 59 metros quadrados cada, com armários embutidos (dois em cada), além de banheiros anexos, com capacidade para atender 40 pessoas (20 do sexo masculino e 20 do sexo feminino) copa cozinha; refeitório com banheiro; lavanderia (área de serviço); construção de duas salas de descanso (masculino feminino), com banheiros; implantação de uma sala de atendimento também com banheiro, que funcionará inclusive como consultório; sala de atendimento; administração; hall de entrada; pátio interno; dispensa para depósito de materiais utilizados na horta; calçamento em volta do prédio, além de uma nova fachada. A área total do terreno é de 793,48 metros quadrados.

Todas as pessoas que serão atendidas no novo espaço serão cadastradas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania, autora do projeto. A gerente de Programas e Projetos Sociais, Adelma Galeano, informou que o trabalho na nova instituição vai "permitir que possamos fazer um trabalho com os moradores de rua, levando-os para o albergue, inclusive com atendimento psicossocial". Para tanto, no local, a Prefeitura contará com uma equipe de profissionais integrada por psicólogo, assistente social, pedagogo; educador social, administrador e cozinheira.

Os moradores de rua são alvos principais do projeto. Já pesquisados pela Prefeitura, a intenção é prestar os mais diferentes tipos de atendimento, como psicossocial para fazer com que eles queiram sair das ruas; trabalho de desenvolvimento integral – físico, intelectual e emocional -, além de outras atividades para evitar a ociosidade, como trabalhar na horta caseira. Ao mesmo tempo, será feita a busca por seus familiares, para que ocorra a reaproximação e, conseqüentemente, a retirada das ruas.