Audiência enfoca papel da família contra exploração sexual infantil

Turismo, segurança, drogas e exploração sexual de crianças e adolescentes são alguns dos temas em debate pela comunidade da região de fronteira do Brasil com Bolívia e Paraguai em audiência pública em Corumbá nesta sexta-feira (19). O auditório do Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez recebe, ao longo de todo o dia, segmentos da sociedade de várias cidades de Mato Grosso do Sul, que fazem fronteira com os dois países, para levantar problemas e soluções no enfrentamento aos crimes sexuais contra crianças e jovens. O encontro é uma realização da Assembleia Legislativa (AL/MS), por meio do deputado estadual Paulo Duarte (PT), com apoio da Prefeitura Municipal.

Durante a cerimônia de abertura, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) aproveitou para fazer algumas observações ao publico que lotou duas salas do Centro de Convenções. "Só conseguiremos vencer as adversidades se formos protagonistas na solução desses problemas e, para isso, temos que cumprir nossos deveres e obrigações", afirmou, acrescentando: "A responsabilidade na solução do problema não está apenas nas mãos da escola, das forças policiais e do judiciário. Todos precisam dar uma contribuição no enfrentamento e prevenção de crimes sexuais contra crianças e adolescentes, principalmente a família".

A opinião foi compartilhada pelo prefeito de Ladário, José Antonio Assad e Faria (PT). "É preciso haver políticas públicas de estruturação da sociedade e do desenvolvimento do nosso potencial econômico para que possamos criar emprego e renda e, assim, que as pessoas possam estruturar suas famílias", disse. Compondo a mesa de abertura, o juiz da 2ª Vara Criminal, Roberto Ferreira Filho, alertou que muitas vezes não é apenas a falta de estrutura familiar, já que a exploração ou abuso sexual pode acontecer dentro de casa. "Infelizmente, muitas vezes a família acaba sendo parceira do agressor ou explorador sexual. Por isso, mais do que um caso de polícia, tratamento ou proteção, o trabalho tem que começar com conscientização e prevenção", afirmou.

Antecedendo os debates, Paulo Duarte decidiu abordar o tema por acreditar que o político "não deve apenas inaugurar obras ou anunciar investimentos. Não podemos aceitar passivamente tal situação. O que precisamos fazer é exigir a punição para quem comete este tipo de crime abominável. Além disso, devemos trabalhar os aspectos de prevenção na família", observou. A discussão começou com o tema "Segurança, drogas e exploração sexual de crianças e adolescentes – Realidade e ações de enfrentamento". Na primeira parte da audiência, estiveram presentes representantes da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, IBISS/COMCEX, Consulado da Bolívia, 6º Distrito Naval, Ministério Público Estadual (MPE) e Superintendência da Polícia Federal em Corumbá.

Durante a tarde, será debatido o tema "Turismo, desenvolvimento local e exploração sexual de crianças e adolescentes", com a participação de representantes do trade turístico local, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo, Secretaria de Estado de Assistência Social, Secretaria de Assistência Social de Corumbá e Programa Escola de Conselhos/Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (PREAE/UFMS). Todos os questionamentos e propostas de soluções serão encaminhados para apreciação dos parlamentares no Legislativo Estadual.