Além da paralisia, Saúde vai vacinar crianças contra o sarampo

Nesta segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, a novidade será a realização simultânea da Campanha Nacional de Seguimento contra o Sarampo. As doses estarão disponíveis nas unidades de saúde também a partir de segunda-feira e, no dia 13 de agosto, em todas as 16 unidades definidas pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde.

Na primeira etapa da campanha, o Ministério da Saúde disponibilizou doses da vacina contra o sarampo para oito estados brasileiros: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Bahia, Ceará e Alagoas. Dessa vez, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e os demais estados, além das duas gotinhas contra a paralisia, deverão vacinar todas as crianças entre um ano e menores de sete anos (6 anos, 11 meses e 29 dias) contra o sarampo, mesmo que já tenham sido vacinadas antes.

O sarampo é uma doença aguda, altamente contagiosa, transmitida pelo paramixovírus. É uma das principais causas de óbito em crianças de 1 a 4 anos de idade. Caracteriza-se por febre, tosse, coriza, conjuntivite, exantema maculopapular confluente e um enantema patognomônico. O contágio ocorre por inalação ou contato com as partículas do vírus que o doente elimina de dias antes até quatro dias após o surgimento dos sintomas.

O período de incubação é de oito a 12 dias, sendo os pródromos marcantes e com duração de três a cinco dias (febre alta, mal-estar, coriza, conjuntivite, tosse e inapetência). Dois dias antes do final do período prodrômico podem ser observadas na face interna das bochechas oposta aos dentes pré-molares pequenos pontos brancos, algo elevados, com halo eritematoso chamados manchas de Koplik, características da doença.