Professor municipal ganha mais que no Estado e na Rede Particular

A política salarial adotada pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) desde o início da sua primeira gestão, em 2005, vem refletindo positivamente na remuneração que a Prefeitura de Corumbá paga aos seus professores. Hoje, um professor em início de carreira da Rede Municipal de Ensino (Reme), com carga de 20 horas, recebe salário de R$ 1.408, acima do que paga o Governo do Estado aos seus profissionais do mesmo nível, e superior ao que as escolas particulares locais pagam, por exemplo, ao professor do ensino médio, cursos livres e educação profissional. No Estado, o salário é de R$ 1.392,22, enquanto que na Rede Particular o vencimento mensal é de R$ 609 (educação infantil e 1º ao 5º ano) e R$ 703,50 (6º ao 9º ano), também por 20 horas.

Na Rede Particular, os professores tiveram reajuste linear de 6,9% a partir de 1º de março de 2011, mesmo índice aplicado ao salário normativo (piso da categoria). A exceção foi com relação aos professores da educação infantil, ensino fundamental de 1º ao 5º ano, dos auxiliares administrativos, docentes e de serviços gerais, reajustados pelo percentual de 7,2%. Para se ter uma ideia, o salário pago pelos estabelecimentos particulares aos professores do ensino médio, cursos livres e da educação profissional (R$ 1.165,50), é inferior ao piso salarial dos profissionais de educação da Rede Municipal, que é de R$ 1.228,00.

As informações salariais da Rede Particular são do próprio Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Corumbá e Ladário (Sintrae Pantanal). O quadro apresenta inclusive o salário pago a professores da educação superior (faculdades), hoje, com o aumento em março, de R$ 2.094,75. São professores com mestrado que, na Prefeitura, em início de carreira, ganham R$ 2.144,80, superior também ao Estado, que paga R$ 1.531,43. Neste caso, para quem está em final de carreira, o salário no Município é de R$ 4.583,12, reajuste de 12,73%, enquanto o Estado paga R$ 3.082,01.

Em relação à política salarial na Rede Estadual, a diferença em favor do Município é enorme. Sempre considerando a carga de 20 horas, enquanto o professor graduado, em final de carreira no Município recebe R$ 2.931,30, no Estado ele recebe R$ 2.801,83. Já o professor pós-graduado em início de carreira passa a ganhar R$ 1.745,70, contra R$ 1.485,04 do Estado. O pós-graduado, em fim de carreira recebe R$ 3.688,73. O Estado paga R$ 2.988,63.

O professor com mestrado em início de carreira na Rede Municipal de Corumbá recebe R$ 2.144,80, contra R$ 1.531,43 do Estado. Já para quem está em final de carreira, o salário é de R$ 4.583,12 e, no Estado, R$3.082,01. Com relação ao professor que possui doutorado, em início de carreira no Município, o salário é de R$ 2.636. O Estado, para quem está na mesma situação, paga R$ 1.531,43. Já quem está em final de carreira recebe R$ 5.683,90. Para professor na mesma situação, o Estado paga R$ 3.082,01.