Escolas municipais de Corumbá acolhem 548 alunos bolivianos

Exatamente 548 bolivanos, divididos entre 309 do sexo masculino e 239 do feminino, estudam em uma das escolas ou creches na Rede Municipal de Ensino de Corumbá (Reme) em 2011. O levantamento foi realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e vai ajudar o Município a garantir que estes estudantes recebam educação de qualidade, mesmo com as dificuldades que o novo idioma – o Português – possa apresentar a estas crianças, jovens e adultos.

A Semed apresentou os números na última semana para o diretor distrital de Educação de Puerto Quijarro, Felipe Benício Montero, responsável pelas nove escolas existentes naquele município. Montero ficou impressionado com a quantidade de alunos bolivianos que estudam em unidades educacionais de Corumbá e recebeu uma cópia do levantamento do secretário Municipal de Educação, Hélio de Lima. "Solicitamos as informações referentes aos estudantes brasileiros que frequentam as escolas de Puerto Quijarro", disse Hélio.

O levantamento vai auxiliar as duas cidades a garantirem que estes estudantes estarão aprendendo tanto quanto os demais alunos. A principal situação seria a diferença entre as línguas nativas de brasileiros e bolivianos. "Muitos destes estudantes possuem dificuldades na realização das tarefas e dos conteúdos repassados em sala de aula. Entre as deficiências estão a compreensão dos vocábulos da Língua Portuguesa e muitos professores não conseguem repassar os ensinamentos de forma clara por não possuírem conhecimento da língua espanhola. Precisamos saber também o que fazem estes jovens depois que saem da escola", reforçou Hélio.

As professoras Suzana Mancilla e Elizabeth Bilange, ambas da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus do Pantanal e atuam nos cursos de Letras, habilitação em Português-Espanhol ou Português-Inglês e coordenam um projeto de maior interação entre as escolas dos dois municípios. Para isso, pretendem realizar a 1ª Conferência dos Diretores das escolas de Porto Quijarro e Corumbá e um curso de português para professores que estão do outro lado da fronteira.

Números

A escola Caic – Padre Ernesto Sassida juntamente com a Creche Catarina Anastácio lideram o levantamento com 136 estudantes bolivianos, sendo 87 do sexo masculinos e 49 do feminino. A grande procura pode ser explicada pela localização da unidade, na rodovia Ramón Gómez, que liga Corumbá à Puerto Quijarro. Em seguida, aparece a escola José de Souza Damy, com 121 alunos, divididos entre 71 meninos e 50 meninas. A escola rural Eutrópia Gomes Pedroso, no assentamento Tamarineiro, possui 29 alunos e 15 alunas nas séries iniciais e ensino fundamental.

O levantamento mostrou também o total de bolivianos em outras escolas municipais como a Ângela Maria Perez (4 alunos); Barão do Rio Branco (2); Cássio Leite de Barros (1); Cyríaco Félix de Toledo (13); Izabel Correa de Oliveira (44); Luiz Feitosa Rodrigues (8); Pedro Paulo de Medeiros (37); Rachid Bardauil (2); Tilma Fernandes Veiga e Creche Valódia Serra (3); Djalma Sampaio Brasil (63). Paiolzinho (44) e no Centro de Educação Infantil Estrelinha Verde (1).