11º Povo das Águas beneficiou 583 ribeirinhos no Pantanal norte

A 11ª edição do Programa Social Povo das Águas, realizada entre os dias 18 e 22 de julho, beneficiou 138 famílias da região norte do Pantanal sul-mato-grossense. Durante os cinco dias da ação, a equipe da Prefeitura de Corumbá atendeu 583 ribeirinhos, pessoas que vivem às margens dos rios Paraguai, Paraguai Mirim e São Lourenço, e tiram seu sustento da pesca e de pequenas lavouras plantadas para subsistência. No São Lourenço, já na divisa entre os estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, ponto mais distante da viagem, mora a família do senhor Darílio Rosa, 59 anos, pescador nascido e criado naquela localidade.

Popularmente chamado de "Velho do Rio", Seu Darílio vive com o filho Ramão, a nora Maria e mais quatro netos no sitio Porto Horizonte, uma área conhecida pelos pantaneiros como Bananal. Quando o Povo das Águas chegou ao local pela primeira vez, em 2010, encontrou uma situação preocupante. Nenhuma das crianças jamais tinha tomado uma dose de vacina sequer. E nenhuma delas existia oficialmente, já que não possuíam certidão de nascimento. "Desde então estamos tentando providenciar o registro deles. O problema foi que, quando voltamos para cá, eles não estavam aqui. Tinham se mudado para alguma fazenda, onde arrumaram emprego", explicou Marlene de Oliveira Alves, da Secretaria Municipal de Assistência Social.

No Pantanal, é bastante comum famílias inteiras se mudarem durante longos períodos, seja por causa da cheia, da seca, ou de empregos temporários, como no caso de Darílio e Ramão. Depois de algum tempo, elas voltam para o local onde passam a maior parte do ano. "As crianças não foram registradas porque a mãe também não tem certidão, nunca teve. E a mãe dela (avó das crianças) mora na região do Paraguai Mirim. É difícil levá-las até a cidade. Mas fizemos todos os encaminhamentos necessários e esperamos resolver esta situação até o mês que vem", afirmou Marlene.

Quanto à vacinação, a carteira delas estará em dia na próxima vez que o Povo das Águas retornar ao São Lourenço, em novembro deste ano. "Eles receberam a imunização contra febre amarela, tríplice viral, hepatite B, H1N1, DTP (Difteria, Tétano e Coqueluche)", detalhou a vacinadora Luciana Ambrósio. Enquanto os pais recebiam a cesta básica, os casacos, lonas e mantas entregues pelo Município em caráter emergencial, os irmãos participaram de atividades lúdicas com a professora Miriam Bastos. "Quando eu crescer quero ser advogada", disse Damiana, 13 anos, a mais velha dos quatro. Daiane, 12, Dalton, 8, e Ramão Júnior, de 5 anos, todos muito tímidos, acompanharam a irmã no sonho de um futuro melhor.

O Porto Horizonte fica há mais de 50 quilômetros, subindo o rio, da Escola Municipal Rural Pólo Porto Esperança- Extensão São Lourenço, onde o barco da ação atracou. Durante o caminho, percorrido em embarcações menores (voadeiras), outras 10 famílias foram atendidas pela equipe composta pela assistente social, vacinadora, médico, dentista, defesa civil e soldados do Exército Brasileiro, integrantes do Projeto Rondon, que permanece atendente os ribeirinhos até a sexta-feira (22).

Social

A 11ª edição do Programa Social Povo das Águas atendeu inicialmente os ribeirinhos da região do São Domingos Ramos, onde as educadoras da Secretaria Municipal de Educação realizaram pintura facial, pintura de unhas, teatro infantil educativo e atividades corporais para 20 crianças. Outras 25 pessoas receberam atendimentos médicos, 30 de enfermagem e 17 odontológicos. Foram distribuídas 40 doses da vacinas e 17 kits de escovação. Sete crianças de 0 a 5 anos foram pesadas, onde duas se mostraram abaixo do peso ideal. Ainda no Porto Maracangalha, 25 pantaneiros aproveitaram para mudar o visual cortando o cabelo.

Já no Castelo, foram 60 cortes feitos pela cabeleireira Odinéia Solabarreto Gonçalves, que acompanha voluntariamente o programa social coordenado pela Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais. Os médicos do 6º Distrito Naval que também fazem parte da ação atenderam 94 pacientes. As enfermeiras da Secretaria Municipal de Saúde realizaram 110 procedimentos. Os dentistas, um da Saúde e outro voluntário, trataram 31 dentes e entregaram 66 kits. As aplicações de vacinas chegaram as 57 doses. Das seis crianças pesadas, apenas uma estava abaixo do peso ideal. No Porto Zequinha, as professoras trabalharam com 25 crianças e adolescentes.

No Paraguai Mirim, onde os atendimentos se concentraram na Escola Municipal Rural Paraguai Mirim, foram 100 crianças participando das oficinas. 130 ribeirinhos se consultaram com os médicos, 150 passaram pelo setor de enfermagem e 58 pelos dentistas. Foram aplicadas 113 doses de vacinas e pesadas 33 crianças. Somente três não apresentaram peso ideal. Cem pessoas aproveitaram a oportunidade para cortar os cabelos.

A 11ª ação terminou na Barra do São Lourenço, com mais 50 cabelos cortados, 51 consultas médicas, 33 odontológicas, 60 procedimentos de enfermagem, 75 vacinas aplicadas e a pesagem de 7 crianças, todos com a pesagem ideal para a idade. Mais quatro edições do Povo das Águas acontecem em 2011. A próxima será na parte baixa do Pantanal, entre o Porto Formigueiro e o Forte Coimbra. Depois a equipe da Prefeitura volta a atender, pela terceira vez no ano, a população do Taquari, da parte alta e baixo da planície pantaneira.